Cidadeverde.com
Cidades

União: famílias do assentamento Tranqueira terão posse de terra

Imprimir

Atendendo a uma reivindicação feita, no dia 13 de abril deste ano, pelo deputado estadual Franzé Silva (PT), Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de União, e ex-prefeito Zé Barros, a governadora Regina Sousa assinou, nesta sexta-feira (27), termo de desapropriação de área do Assentamento Tranqueira. Com isso, as famílias que lá vivem terão a posse definitiva da terra.

“Fizemos um acordo e, hoje, conseguimos passar essa terra para o assentamento tão simbólico de União. Conseguimos resolver e isso é bom para todos. Eles agora poderão fazer financiamento nos bancos, para investir na terra de maneira produtiva”, pontua a governadora. O Instituto de Terras do Piauí (Interpi) e a Procuradoria Geral do Estado (PGE-PI) atuaram para a desapropriação.

O conflito agrário de mais de 20 anos envolve áreas ocupadas por agricultores familiares e moradores que se sentem ameaçados de despejo, devido à insegurança jurídica da propriedade do imóvel. De acordo com o Sindicato, três áreas inspiram maior preocupação, onde vivem cerca de 1.300 famílias: as comunidades Tranqueira, Descoberta e Mundo Novo.

“É uma luta muito grande e uma das nossas principais bandeiras de luta é reforma agrária. Mais de 10 áreas estão em conflito. Os agricultores precisam da terra para cultivar e os moradores estão prejudicados por falta de resposta. Precisamos de um olhar especial para essas áreas”, afirma Fátima Nery, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de União.

Proponente da reunião de 13 de abril, que aconteceu no Palácio de Karnak, e articulador de solução para o problema, o deputado Franzé tem acompanhado o caso há meses e afirma que "é necessário assegurar, o quanto antes, as terras a essas pessoas, como forma de garantir uma vida digna. Essa é a maior obra que podemos fazer para essas pessoas e para a cidade de União".

Da Redação

Imprimir