Cidadeverde.com
Geral

Polícia indicia três pessoas por morte da professora arrastada por chuvas em Teresina

Imprimir

Foto: arquivo pessoal


A Polícia Civil concluiu inquérito e indiciou três pessoas – dois engenheiros de São Paulo e um fiscal da prefeitura de Teresina – pela morte da professora Wana Sara Cavalcante Henrique, 39 anos, que morreu arrastada pelas águas da chuva.

Wana Sara tentava atravessar a avenida Homero Castelo Branco, zona Leste de Teresina, quando morreu afogada na noite do dia 4 de fevereiro, nas obras da construção de uma galeria, mas seu corpo só foi encontrado quase 48 horas depois, próximo a Floresta Fóssil.

A Polícia indiciou por homicídio culposo os dois engenheiros da construtora Gimma Engenharia, responsável pela obra de drenagem na avenida Homero. As investigações apontaram também como responsável o fiscal do Superintendência de Ações Administrativas Descentralizadas (SAAD) Leste. 

O inquérito é robusto com 183 páginas. A investigação conta com vários laudos, como o do setor de meteorologia que indicava fortes chuvas no dia em que a professora foi arrastada pela correnteza, e aguarda o resultado de outros dois: o realizado no local do crime onde o corpo da professora foi encontrado e o audivisual filmado pelas testemunhas.

No documento, há também um boletim do Corpo de Bombeiros revelando que, antes da morte de Wana Sara, outros três motoristas foram arrastados no mesmo lugar pela correnteza das água e ficaram presos, mas conseguiram sobreviver.

Ao todo, mais de 20 pessoas foram ouvidas no inquérito policial, entre testemunhas, bombeiros, familiares da professora e funcionários da construtora. 

O delegado que preside o inquérito é Paulo Gregório do 5º Distrito Policial.

Obras no local

O trecho onde o carro da professora Wana Sara foi arrastado foi interditado pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) um dia após a sua morte. Os dois sentidos da via ficaram bloqueados para veículos por 54 dias.

Nesta sexta-feira (03) o trecho voltou a ser fechado para a continuidade das obras da galeria até a avenida Presidente Kennedy, chegando ao bairro Morada Nova. O tráfego no local só deve ser liberado em 30 dias.

Ao todo, a nova rede de drenagem naquela região terá cerca de 4 km de extensão. O investimento no empreendimento é de aproximadamente R$ 65 milhões.

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir