Cidadeverde.com
Picos

Coordenador explica sobre amostra coletada em adolescente

Imprimir

Foto: Paula Monize/cidadeverde.com/picos

O coordenador de Vigilância Epidemiológica de Picos, Robsonclay Viana, em entrevista ao @cidadeverde.com/picos explicou que a amostra de sangue coletada no adolescente, de 14 anos, será enviada nesta segunda-feira (06) para o Laboratório Central do Piauí (Lacen-PI), em Teresina.

O garoto veio a óbito no dia 03 de junho com suspeita de Chikungunya no Hospital Regional de Picos. O mesmo era natural de Jaicós-PI e estava internado na unidade de saúde desde o dia 29 de maio.

Robsonclay Viana explica sobre o exame que rastreia os anticorpos virais do paciente, apontando o diagnóstico da doença que ocasionou o óbito.

“Coletamos a amostra de sangue que é enviada para o Lacen. No laboratório é feito o exame de Elisa que detecta os anticorpos virais. Vale ressaltar que se não existir amostra coletada no dia para algum outro exame, ela é coletada pós-óbito de imediato”, pontua o coordenador.

O resultado deverá ser divulgado nos próximos dias. Se confirmado será o primeiro óbito por Chikungunya registrado no Hospital Regional de Picos.

Exame de Elisa

O Exame de Elisa, diferentemente do teste rápido, quantifica os anticorpos virais. O teste é usado para diversos testes em um laboratório, como para detectar doenças autoimunes, alergias, patologias que desencadeiam produção de imunoglobulinas, doenças infectocontagiosas, dosagem de hormônios, marcadores tumorais e proteínas séricas, doenças virais, doenças bacterianas e de protozoários.

O óbito

O adolescente desde o dia 24 de maio apresentava febre, dor abdominal, dor no corpo e articulações. O mesmo estava recebendo atendimento no Hospital Municipal Florisa Silva, em Jaicós.

No dia 29 de maio, o paciente deu entrada no Hospital de Picos com quadro de cefaleia, vômitos e dor na região cervical. Foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com suspeita de Encefalite. O óbito ocorreu no dia 03 de junho após complicação no quadro de saúde.

Paula Monize

[email protected]

Imprimir