Cidadeverde.com
Política

"Seria mais bonito se tivesse falado com o prefeito", diz Robert sobre Enzo

Imprimir

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

Clima tenso na base do prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, na Câmara Municipal. Nesta quinta-feira (9) o vereador Enzo Samuel (PDT) entregou o cargo de líder do prefeito na Casa. O parlamentar estaria se sentido isolado na missão e incomodado com declarações do vice-prefeito, Robert Rios. O vice, por sinal, retrucou e afirmou que o ex-líder poderia ter sido delicado e entregar o cargo ao próprio Dr. Pessoa.

“A única estranheza é que ele foi escolhido pelo prefeito por indicação do vereador Jeová. Ele tinha que ter tido a delicadeza e entregar pessoalmente ao prefeito e conversar com o prefeito. Acho que o prefeito merece o respeito dele assim como tem o respeito da cidade de Teresina. Ele faria muito mais bonito se tivesse ido diretamente ao prefeito entregar o cargo”, disse Robert Rios em entrevista à TV Cidade Verde.

O vice chamou de desculpa esfarrapada o uso de seu nome para a decisão de entregar o cargo e que estão tentando atingir Dr. Pessoa passando por cima dele.

“Todo mundo sabe que para atingir o prefeito tem que passar por cima de mim. Essa guerra para cima do Robert Rios é para ver se o Robert sai da frente do prefeito para alguém atingir o prefeito. Eu não fui pivô de nada. Estavam reclamando do André (Secretário de Governo) e eu disse que ele era competente, capaz, educado, e estava participando da articulação junto comigo e o próprio prefeito. O prefeito articula a gestão dele, o André articula, o Robert Rios como vice-prefeito articula e muitos outros articulam. Isso é apenas uma desculpa esfarrapada”, declarou.

Enzo afirmou ao anunciar que deixou o cargo, que a liderança não pode ser vista como um serviço de “office boy”.  O presidente da Casa, Jeová Alencar, que indicou Enzo para o cargo, saiu em defesa do colega.

“Dando apoio ao vereador Enzo, desempenhava um grande trabalho aqui na Casa, mas se sentiu tolido de suas funções, em virtude da castração de estar agindo politicamente aqui, se viu pela imprensa que ele não poderia fazer essa articulação. Ele tem o meu apoio, não só do Jeová, mas de todos os vereadores. A gente lamenta, mas ele continua na base do prefeito. Esperando que volte ao normal, pois essa Casa não pode continuar nesse rebuliço político. A cidade precisa dos vereadores e ele tem o nosso apoio”, destacou. 

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir