Cidadeverde.com
Esporte

Vôlei feminino do Brasil decepciona e perde para a Itália na Liga das Nações

Imprimir

A seleção brasileira feminina de vôlei perdeu para a Itália por 3 sets a 1, com parciais de 25/17, 25/15, 14/25 e 25/14 em jogo válido pela Liga das Nações, neste sábado, em Brasília. 

Foi o segundo revés do time dirigido pelo técnico José Roberto Guimarães, que na primeira fase já havia perdido para os Estados Unidos.

Mesmo com o apoio da torcida, a equipe brasileira não se encontrou na quadra. À exceção do terceiro set, quando saiu vencedor, as meninas do Brasil mostraram um jogo previsível, o que facilitou a vitória das italianas. Em sete jogos, o Brasil soma agora cinco vitórias e duas derrotas na competição.

Com o resultado, a Itália aparece em terceiro lugar com 17 pontos enquanto o Brasil ocupa o quinto posto com 15. A seleção brasileira volta à quadra neste domingo diante da Sérvia, às 10h, em Brasília.

A Itália não sentiu o fato de ter a torcida contra e começou o primeiro set mais ligada em jogo. O Brasil conseguiu manter a disputa equilibrada até o 5 a 5 no placar, mas a falta de um saque eficiente acabou facilitando a missão das italianas que começaram a abrir vantagem muito em função do seu bloqueio.

O destaque ficou por conta de Bonifacio, que levou vantagem no duelo com as atacantes do Brasil. Sem conseguir impor o seu jogo, a seleção brasileira foi presa fácil e a Itália definiu o set inicial em 25/17.

O jogo foi reiniciado, mas o panorama não mudou. Com uma estratégia previsível de saque recepção e bloqueio, o Brasil viu a Itália deslanchar a partir do 11 a 5.

Com uma boa variação na distribuição de bolas, a levantadora Malinov facilitou a missão no momento de ataque e Paola Egonu passou a fazer a diferença.

Apesar das instruções do técnico José Roberto Guimarães, a seleção brasileira seguiu pecando nos erros forçados e a Itália abriu 2 a 0 ao faturar o segundo set por 25/15.

O terceiro set começou com a Itália pedindo desafio logo no primeiro lance. O árbitro de vídeo foi acionado, mas as imagens acabaram dando ponto para o Brasil, mostrando que dessa vez a história seria diferente.

As meninas abriram 3 pontos de vantagem pela primeira vez no jogo e foram dominantes o tempo inteiro.

O saque passou a entrar, a Itália teve dificuldades na recepção e o panorama mudou totalmente. Com grande atuação de Gabi, a seleção chegou a 17 a 8. A vantagem foi mantida, Carol foi soberana no bloqueio e o terceiro set acabou definido em 25/14.

A pressão imposta pelo Brasil no terceiro set parece ter sido esquecida fora de quadra no quarto set. Num ritmo avassalador, a Itália foi abrindo vantagem no placar. As italianas chegaram a ter 12 a 3. O bloqueio da seleção europeia voltou a ser soberano e o Brasil ficou disperso em quadra.

Após o tempo técnico, o Brasil entrou no jogo, voltou a pressionar no saque e contou com o apoio da torcida. A Itália porém, apostou na troca de bolas para tentar administrar a vantagem. Paola Egonu seguiu como ponto forte e manteve o poderio ofensivo.

No segundo tempo técnico, quando o jogo estava em 15 a 7 para as italianas, José Roberto Guimarães pediu mais variações, principalmente diante de bloqueios simples na rede da equipe rival. A Itália seguiu dominando a partida, fechou o jogo em 25/14 e definiu a vitória sobre as anfitriãs.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir