Cidadeverde.com
Últimas

Polícia investiga ameaça de morte em carteira de aluno na escola Padre Delfino em Timon

Imprimir

Foto: Google Maps

A Polícia Civil do Maranhão instaurou um inquérito para investigar um caso de ameaça feita a um estudante do 3º ano do ensino médio na Unidade Escolar Padre Delfino, em Timon (MA). A escola é a mesma em que uma professora foi sequestrada em março deste ano

A polícia segue duas linhas de investigação: um caso verídico e ameaça ou trote de ambiente escolar. A informação foi confirmada ao Cidadeverde.com pela polícia do Maranhão por meio de nota e pela diretora da instituição, professora Rosilene Neves. 

"A Polícia já está investigando o caso e no momento oportuno iremos nos pronunciar. No momento, não vamos falar nada sobre o assunto. Qualquer novidade deve ser repassada pelo delegado", afirmou a professora Rosilene Neves. 

Ameaça em carteira

O caso teve início em 24 de junho, quando um aluno recebeu a carteira escolar com uma mensagem escrita atrás anunciando o dia da sua morte. O pai do estudante, ao tomar conhecimento do fato, foi até a Central de Flagrantes de Timon para registrar um boletim de ocorrências.

No verso da carteira estudantil do aluno ameaçado havia a seguinte mensagem: "Vai morrer B.40. Ta marcado. Data 20/07/22". Na frente da carteira estava desenhado o símbolo da cruz e as siglas de outra facção criminosa. 

A ameaça teria sido escrita por um membro do PCC e seria direcionado para um faccionado do Bonde dos 40.  

Policiais do 11º Batalhão de Polícia Militar de Timon informaram que estão reforçando rodas policiais na região para dar mais seguranças aos alunos. E agentes do 1º Distrito Policial disseram que o caso será investigado a fim de identificarem os autores da "ameaça ou brincadeira". 

Foto: Reprodução 

Sequestro 

O Centro de Ensino Padre Delfino foi notícia em fevereiro de 2022 após a professora Priscila Guimarães, de 30 anos, ser sequestrada por um aluno no estacionamento da instituição de ensino. 

A professora foi mantida refém dentro do próprio carro por 2 horas em frente ao 11º BPM. O aluno Rodrigo da Silva, 19 anos, manteve a professora sob a mira de uma faca até que liberou ela e avançou contra um policial. 

O aluno foi contido a tiros e encaminhado para a Hospital de Urgência de Teresina (HUT) à época. 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir