Cidadeverde.com
Vida Saudável

Saúde bucal: Alimentação pode ser ameaça ou aliada dos dentes; entenda

Imprimir

Foto: Freepik

 


O Dia da Alegria é comemorado neste mês, mas o que é alegria? Alegria é um estado de contentamento, um momento de satisfação, exultação. Mas a beleza desse sentimento está em satisfazer-se nas pequenas coisas. Comer uma comida saborosa e ter saúde podem estar entre essas pequenas coisas, mas para ter um sorriso saudável é preciso ter alguns cuidados com a alimentação. 

A alimentação tem uma relação direta com a saúde dos dentes, motivo pelo qual alimentos ricos em fibras, cálcio, vitaminas C e D, por exemplo, ajudam a manter os dentes saudáveis, combatendo, inclusive, a ação de micro-organismos.

“A boca é a porta de entrada da saúde geral”, afirma a dentista Suyana Carneiro. E o aspecto nutricional tem um papel fundamental nesse sentido. Ela explica que se o organismo não recebe a nutrição adequada, isso gera alterações em vários locais da boca. Muitas vezes, as alterações bucais são o primeiro sinal de alerta do organismo. “Dentes frágeis, grande incidência de caries, mal hálito, tudo isso indica o corpo pedindo certo tipo de nutriente do qual ele está carente”, explica. “A alimentação equilibrada é essencial não só para a saúde geral, mas também para a saúde bucal”.

No entanto, quando o paciente não segue uma dieta equilibrada e consome alimentos com grande quantidade de sódio, gordura e açúcar, ocorre a deficiência dos nutrientes que mantêm a saúde bucal, levando a problemas como o mau hálito, a cárie, a gengivite (inflamação na gengiva) e a periodontite (agravamento da gengivite).

Dessa forma, quem quer manter os dentes funcionais e ficar com o sorriso harmônico deve redobrar o cuidado com a alimentação, apostando em uma dieta rica em nutrientes e, claro, consumindo bastante água ao longo do dia.

Além disso, o fato de um alimento ser mais difícil de ser removido das superfícies dentárias durante a higienização também pode ser prejudicial à higiene da boca. Portanto, não só o tipo de alimento é importante, como também a sua consistência.


Alimentação pode ser ameaça ou aliada

Alguns tipos de comida podem trazer benefícios para a saúde bucal. Eles são considerados como “detergentes” pois atuam eliminando resíduos de outros alimentos que ficaram aderidos à superfície dental. Entre eles estão a pêra, maçã, cenoura e laranja. Por outro lado, existem aqueles que representam perigo para essa região.

“O açúcar presente em doces provocam a queda do pH que causa a desmineralização do dente, aumentando o risco de cárie”, esclarece Suyana Carneiro.

Além disso, alguns exemplos de carências nutricionais podem ainda causar manifestações bucais. A falta de ferro, por exemplo, pode resultar em aftas, língua careca, feridas no canto da boca, queimação bucal, tendência a infecções oportunistas e até mesmo aumento do risco de câncer de boca.

Por sua vez, a escassez de vitamina C pode resultar em sangramento gengival, mobilidade dentária, retardo na cicatrização, alteração do paladar, tendência à cárie, doença periodontal e doenças oportunistas. Entre essas carências que podem prejudicar a saúde da boca estão também a falta de cálcio, zinco, magnésio e das vitaminas D, B2, B3 e B12.


É preciso deixar de comer algum tipo de alimento?

No entanto, mesmo que existam alimentos melhores para o sorriso do que outros, isso não significa que seja preciso eliminar totalmente o consumo de nenhum deles. “Não há necessidade de deixar de comer nada, mas de se seguir uma nutrição saudável, como recomendado por uma nutricionista”, explica a dentista. Com essa alimentação equilibrada associada à escovação após as refeições e uso do fio dental diário, mais o acompanhamento regular de um dentista, a saúde bucal fica fora de perigo.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir