Cidadeverde.com
Vida Saudável

Amamentação exclusiva até os seis meses de vida protege o organismo do bebê

Imprimir


Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

 

O leite materno é um alimento completo, que proporciona todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento do bebê. Ele deve ser oferecido até os dois anos ou mais e de forma exclusiva para a criança até os seis meses de vida, sendo desnecessária a oferta de qualquer outro tipo de alimento ou bebida, como papinha, mingau, chás, suco e outros.

Mesmo em regiões mais secas e quentes, não é necessário oferecer água para os bebês com menos de seis meses, pois o leite materno possui toda a água necessária para a hidratação. Em dias quentes, a criança poderá mamar com mais frequência para matar a sede.

A oferta de outros alimentos de forma precoce para crianças que estão em fase de amamentação exclusiva, além de desnecessária, pode ser prejudicial, aumentando os riscos de adoecimento e interferindo na absorção de nutrientes importantes, já existentes no leite materno, como ferro e zinco.

É importante destacar que, em geral, o organismo do bebê só está maduro e desenvolvido o suficiente para receber outros alimentos por volta dos seis meses de vida.


Benefícios para a mulher

Além de ser importante para a saúde do bebê, a amamentação também traz benefícios para a mulher, como a redução do risco de desenvolver câncer de mama, ovário e endométrio.

Durante o período de aleitamento materno, as taxas de determinados hormônios que favorecem o desenvolvimento desse tipo de doença reduzem. Ocorre, então, a eliminação e renovação de células que poderiam ter lesões no material genético, diminuindo, com isso, a propensão para essas enfermidades.

Quanto maior o período de amamentação, maior a proteção para mulher e bebê.

 

Fonte: Ministério da Saúde

Imprimir