Cidadeverde.com
Cidades

Secretaria de Segurança vai reforçar monitoramento de facções no interior do Piauí

Imprimir

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí vai intensificar o monitoramento das facções criminosas que atuam no estado. De acordo com o secretário, coronel Rubens Pereira, o objetivo é que as forças policiais trabalhem para barrar a instalação de mais grupos criminosos, principalmente em municípios do interior.

Recentemente, a SSP informou que facções estavam tentando migrar para a região Sul do Piauí, que recebeu um maior reforço nas ações policiais.

Ao Cidadeverde.com,  o secretário Rubens Pereira destacou que a atuação das facções é regional e isso dificulta o trabalho, fazendo com que seja necessário a atuação de forças integradas para conter o avanço desses grupos. 

"Se fosse possível o Piauí, sozinho, enfrentar essa realidade e acabar com ela, [já tínhamos feito]. São Paulo e o Rio de Janeiro já tinham dado essa efetividade, mas as facções são uma realidade naquela região há quarenta décadas", pontuou o coronel Rubens Pereira. 

Por conta disso, o secretário de Segurança defende a união das forças estaduais, federais e nacionais para o combate das facções. 

"O Brasil é um país de grandes fronteiras aquáticas e secas. Elas precisam ser vigiadas, monitoradas. E isso cabe ao Exército, às Forças Armadas. É uma realidade que vamos enfrentar e estamos enfrentando", acrescentou o secretário. 

A ideia da Secretaria de Segurança é levar para outras regiões do Piauí o modelo adotado no litoral do estado, com a Força Tarefa que atua no combate à facções criminosas na região. Como forma de cessar esses grupos criminosos, o grupo tem atacado diretamente as fortunas de líderes faccionados. Em seis meses de atuação, mais de R$ 12 milhões já foram apreendidos.

 

Mortes no litoral 

Segundo a Polícia Militar Piaui, 95% das vítimas de mortes violentas no litoral são de pessoas envolvidas no mundo do crime e têm alguma ligação com facção criminosa.

Segundo o comandante geral da Polícia Militar no Piauí, coronel Scheiwann Lopes, houve um leve aumento nos meses de abril e maio no número de mortes violentas no litoral, mas, de acordo com o coronel, essas mortes já estão caindo.

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

 

“Aumentando em média cerca de 35% a 40% nossa produtividade de recuperação de veículos roubados, apreensão de armas, de apreensão de drogas, de prisões, de elaboração de termo circunstanciais na ocorrência. Tivemos uma parte negativa nessas mortes violentas. Mas já estabilizamos e estamos em um número menor a partir agora do mês de junho para julho. Nós tivemos uma baixa, sobretudo na capital”, acrescentou o coronel.

Ainda segundo o comandante, no interior também diminuiu a ocorrência de óbitos.

“Passamos trinta dias no litoral sem nenhum homicídio. Saímos em média de nove viaturas atuando para vinte e duas viaturas com reforço. Dobramos duas vezes e meia a capacidade de operação da polícia e diminuímos a atendimento de ocorrência em todas as áreas de atuação da criminalidade”, completou o coronel.

 

Denúncias 

Denúncias sobre atuação de facções criminosas, foragidos da Justiça, tráfico de drogas e outros crimes podem ser encaminhadas, de forma anônima, ao endereço eletrônico: bit.ly/denunciapcphb.

 

Nataniel Lima
[email protected]

Imprimir