Cidadeverde.com
Geral

Estudantes denunciam falta de comida no RU após corte de R$ 7 milhões no orçamento da UFPI

Imprimir

 

 

Alunos da Universidade Federal do Piauí (UFPI) estão denunciando a falta de comida nos Restaurantes Universitários (RU) e problemas na estrutura, após o corte de R$ 7,7 milhões realizado pelo governo federal.

Fábio Andrade, estudante de jornalismo da UFPI e membro do DCE, gravou na terça-feira (19) um vídeo mostrando a situação do RU, com longas filas e alunos esperando sentados no chão após a falta de comida.

O vídeo dele foi publicado no Twitter e viralizou, fazendo a UFPI ficar nos Trends Topics, entre os assuntos mais comentados de forma local na rede social. Segundo o estudante, a gravação foi realizada para mostrar a realidade que os alunos estão enfrentando desde o retorno das aulas presenciais.

“No dia 20 de junho, voltamos a ter aulas de forma presencial, mas estamos enfrentando vários problemas estruturais, como falta de iluminação a noite, assaltos também estão acontecendo, nas salas de aula os ar-condicionados não funcionam e algumas tomadas também sem funcionar. Temos também data-shows com problemas, onde a aula que deveria começar 14h, só inicia por volta de 14h30 porque o aparelho demora a funcionar”, disse o estudante Fábio Andrade.

A comida oferecida pelo Restaurante Universitário é outro problema enfrentado. “A UFPI tem três restaurantes universitários. Gravei o vídeo no primeiro RU, mas o terceiro enfrentou ontem o mesmo problema. Faltou comida por três vezes, e as pessoas tiveram que esperar na fila, muitas sentadas no chão, aguardando a comida. Voltava e logo depois acabava e nisso a fila só aumentando. Mesmo que você chegue cedo, porque lá começa às 11h, ainda vai pegar fila”, destacou.

Fábio Andrade acredita que a situação está ocorrendo devido aos cortes orçamentários de mais de R$ 7 milhões. “A gente faz essa denúncia, porque acreditamos que tem uma ligação direta com os cortes na universidade. Com certeza esse valor compromete o funcionamento da universidade nos próximos messes e também essa estrutura dos restaurantes daqui, onde podemos viver um cenário de racionamento na alimentação, um prato que antes era de uma qualidade boa, sendo reduzido. Isso com certeza tem essa ligação com os cortes sim, e nós da comissão gestora do DCE estamos nos organizando e vendo a melhor forma de tratar essa situação isso, junto aos centros acadêmicos, para reivindicar para ter um investimento para a UFPI”, finalizou.

UFPI se manifesta

Em nota a UFPI informou que não está ocorrendo a falta de alimentos no restaurante, e que é realizado um cálculo em relação à quantidade de refeições que vão ser servidas e que na terça-feira ocorreu um aumento na procura.

“A Universidade informa que todos que estavam na fila almoçaram, após espera de 40 minutos, tempo necessário para preparo das refeições adicionais. Para evitar que a situação se repita, a Universidade já reajustou as previsões de refeições dos RUs de Teresina para garantir que todos disponham de alimentação balanceada, de valor acessível e fundamental como política de assistência estudantil nesta Instituição. A UFPI esclarece ainda que todos os contratos de aquisição de alimentos para os RUs estão vigentes, com entregas em dia”, informou.

Sobre os demais problemas, destacou que já foi solicitada a troca de lâmpadas para garantir a iluminação no local e que possuem 190 vigilantes entre 17 postos de vigilância armada e 26 desarmada na instituição.

“Sobre manutenção de ar-condicionado, a UFPI informa que todas as demandas que chegam à Prefeitura Universitária estão sendo atendidas por ordem de chegada”, destacou.

Confira a nota na íntegra:

A Universidade Federal do Piauí informa que não há falta de alimentos em nenhum restaurante universitário mantido pela Instituição. O que ocorreu no almoço dessa terça (19) nos Rus Central e 3 (CCA) é que a previsão de refeições, calculada com base na média das semanas anteriores, foi ultrapassada por uma demanda atípica, de cerca de 300 pessoas a mais que buscaram o serviço. A Universidade informa que todos que estavam na fila almoçaram, após espera de 40 minutos, tempo necessário para preparo das refeições adicionais. Para evitar que a situação se repita, a Universidade já reajustou as previsões de refeições dos RUs de Teresina para garantir que todos disponham de alimentação balanceada, de valor acessível e fundamental como política de assistência estudantil nesta Instituição. A UFPI esclarece ainda que todos os contratos de aquisição de alimentos para os RUs estão vigentes, com entregas em dia.

Sobre  iluminação, a Universidade informa que todas as solicitações de troca de lâmpadas nas unidades estão sendo realizadas pela Prefeitura Universitária, por ordem de chegada. Sobre iluminação em vias públicas, a Universidade solicitou à Prefeitura de Teresina troca das lâmpadas por modelos de LED mais potentes nos canteiros centrais e nas laterais das vias.

A respeito da segurança, a Universidade reforça que seguem as estratégias para fortalecer o monitoramento do campus, com atuação de quase 190 vigilantes entre 17 postos de vigilância armada e 26 desarmada, com especial atenção, nos horários de pico, próximo às paradas de ônibus. Além disso, tem continuidade o patrulhamento da Polícia Militar, que ampliou rondas até às 22 horas.

Sobre manutenção de ar-condicionado, a UFPI informa que todas as demandas que chegam à Prefeitura Universitária estão sendo atendidas por ordem de chegada.

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir