Cidadeverde.com
Esporte

Morre Roberto Queiroz, narrador que marcou época no futebol pernambucano

Imprimir

O narrador esportivo Roberto Queiroz, dono de uma marcante voz no futebol pernambucano, morreu neste domingo (24), no Recife, aos 72 anos. O falecimento foi comunicado nesta segunda-feira (25) pela Rádio Jornal, onde trabalhou durante anos e teve mais de uma passagem.

Roberto Queiroz marcou a memória de inúmeros torcedores no Brasil e em Pernambuco (Foto: Divulgação/Rádio Jornal)

De acordo com informações de parentes, o "Garganta de aço" estava internado em um hospital na região central da capital pernambucana. 

Ele, que tratava um câncer, teve uma embolia no fígado, segundo apurou a reportagem.

As narrações de Roberto Queiroz embalaram diversas conquistas dos clubes pernambucanos. Nas redes sociais, Náutico, Santa Cruz e Sport publicaram homenagens ao narrador.

"O nosso Garganta de Aço nos deixa no plano físico, mas a sua voz, a sua inesquecível voz, ecoará para sempre na memória de todo torcedor pernambucano", diz trecho do texto do Náutico.

"O Santa Cruz lamenta profundamente o falecimento do narrador Roberto Queiroz. Garganta de Aço, Roberto foi o porta-voz de muitas emoções vividas pelos tricolores", afirmou o time tricolor pernambucano.

"Uma voz marcante, eterna e que se mistura com a história de Pernambuco. Um dia de tristeza, mas de relembrar e nos orgulhar de ter ouvido Roberto Queiroz, o Garganta de Aço", pontuou o Sport.

José Mariano de Queiroz nasceu em Caruaru e iniciou a carreira na Rádio Cultura, em 1966. Quando chegou à rádio, José Queiroz de Lima, conhecido como Zé Queiroz, era comentarista. Então, ele aceitou a sugestão e assumiu o Roberto Queiroz, nome pelo qual ficou conhecido.

Em 1970, foi para o Recife para trabalhar na Rádio Jornal. A partir daí, teve passagens pela Rádio Olinda, Rádio Capibaribe e Rádio Clube. Trabalhou também na Estação SAT e pelo Sistema Jornal do Comércio.

Ao longo deste período, fez a cobertura de diversas edições da Copa do Mundo e se tornou a voz de grandes títulos dos clubes pernambucanos, sendo a narração da Copa União de 1987 uma das mais lembradas.

Conhecido pela narração esportiva, Roberto Queiroz também chegou a ter programas ligados à música na caminhada profissional.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir