Cidadeverde.com
Cidades

Focos de queimadas crescem 119% e Piauí termina julho em 7º lugar no Brasil

Imprimir

Foto: Corpo de Bombeiros 

Os focos de queimadas no Piauí seguem em alta. O estado fechou o mês de julho com um aumento de 119%, se comparado com o mês de junho. Com isso, o Piauí foi o terminou o último o mês na 7ª colocação entre no ranking de queimadas entre os estados brasileiros, segundo dados do Sistema de Monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). 

Em junho de 2022, o Inpe registrou 256 focos de incêndio. Já no mês de julho esse número subiu para 561.

Os municípios que mais registraram foram:

  • Jerumenha -  61 focos
  • Floriano - 52 focos
  • Uruçuí - 50 focos

No ranking nacional, o Maranhão lidera o ranking com 2.170 focos de incêndio, seguido de Mato Grosso (1.919), Tocantins (1.710), Pará (1.681), Amazonas (1.428), Minas Gerais (990), e Piauí (561). 

Combate a incêndios no Piauí  

Como forma de prevenção, o Corpo de Bombeiros do Piauí iniciou a operação Guardiões do Bioma. A ação inclui a capacitação de brigadistas contratados e selecionados pelos municípios da região para combater os focos de incêndio. As áreas que receberão esses profissionais estão nas cidades de Uruçuí e São Raimundo Nonato, onde concentram as principais ocorrências. 

“Esses brigadistas serão nosso apoio e vão nos mostrar os locais onde há foco de incêndio e fazer a identificação dos ambientes nesses municípios, em caso de ocorrência. Uma equipe já está fazendo a capacitação desse pessoal na região de Uruçuí e São Raimundo Nonato”, disse o tenente-coronel José Veloso. 

O tenente-coronel do Corpo de Bombeiro ainda citou que a preocupação com a região do Cerrado é maior por conta da condição climática deste tipo de bioma, sobretudo pela chegada antecipada do período seco, favorável ao surgimento de focos de incêndio. 

Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com 

Para ajudar no trabalho de combate nos locais de difícil acesso, o Corpo de Bombeiros adquiriu veículos que serão equipados com kits de combate a incêndio. Além disso, a expectativa é que a corporação tenha acesso a uma aeronave com capacidade para fazer o translado das equipes e de água para debelar as chamas. 

Recomendações 

  • Faça a queimada de madrugada ou nas primeiras horas da manhã;
  • Somente inicie após se certificar de que tem pessoal e equipamentos disponíveis no local para fazer a queimada com segurança;
  • Distribua o pessoal em equipes, definindo setores de monitoramento e de ações emergenciais;
  • Avise a programação da queimada (dia e horário) aos vizinhos e a cooperativa de agricultores local;
  • Faça a queimada contra o vento. Assim você terá melhor controle das chamas;
  • Realize os aceiros para segurança da área. A largura do aceiro depende da altura da vegetação e do porte do material a ser queimado. Maior será o aceiro quanto mais alta seja vegetação a ser protegida do fogo e quanto mais pesado material (troncos) a ser queimado. Em caso de grandes áreas de queima, divida em lotes separadas por aceiros;
  • Por mais simples que pareça a execução de uma queima, considere sempre a possibilidade do fogo ultrapassar a linha definida, gerando focos nos terrenos vizinhos, ou que escape à capacidade de controle do pessoal envolvido na operação;
  • Mantenha vigilância de brasas. Tal medida de segurança deve ser executada com o objetivo de evitar o reinício do fogo e o consequente risco de incêndio. A duração desta fase depende diretamente das características do material combustível tratado com a queima;
  • Existem diversas técnicas utilizadas conforme o objetivo da queima e o tipo de combustível. Escolha a técnica de queima adequada;

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir