Cidadeverde.com
Vida Saudável

Celulite piora com alimentação inflamatória; veja como prevenir

Imprimir


Foto: Freepik

 


A celulite é considerada um problema estético para a maioria das pessoas. A condição, conhecida pelos especialistas como lipodistrofia ginóide, costuma atingir mulheres em idade reprodutiva.

Segundo Débora Aparecida Oliveira Modena, fisioterapeuta dermatofuncional, o depósito de gordura e a má circulação promovem acúmulo de líquidos e um tipo de cicatrização irregular chamado fibrose, o que leva ao surgimento dos temidos furinhos na pele.

Ainda segundo a fisioterapeuta e doutora em ciências da cirurgia, a celulite é influenciada por diversos fatores. Mulheres têm uma maior tendência a essa condição porque a estrutura da pele favorece o surgimento. Seus hormônios ainda promovem um maior acúmulo de gordura e uma menor circulação linfática.

Pessoas de pele clara ou que usam contraceptivos são ainda mais afetadas.


CELULITE É UMA DOENÇA?

Celulite não é uma doença, é uma disfunção no tecido causada, principalmente, por fatores genéticos. Entretanto, um estilo de vida não saudável pode piorar essa condição.

Segundo Marcella Garcez, médica nutróloga, a dieta é um dos fatores mais importantes. Uma alimentação muito calórica, com excesso de ultraprocessados e poucos nutrientes aumenta o estado inflamatório do corpo, o que pode atrapalhar a circulação e favorecer a formação das fibroses.

A falta de exercícios físicos e o aumento rápido de peso também aumentam as chances de desenvolver celulite.


COMO PREVENIR?

Ainda segundo a médica, a principal maneira de prevenir o surgimento da celulite é adotar um estilo de vida saudável. Uma alimentação equilibrada, com carboidratos complexos, como os encontrados em frutas e vegetais, e rica em proteínas, como as encontradas em carnes magras, é a principal aliada.

As proteínas são necessárias para a manutenção dos vasos que favorecem uma melhor circulação sanguínea e para a formação de colágeno, que deixa a pele mais firme.

O consumo de gorduras saudáveis, como as encontradas no abacate, no azeite e nos peixes de água fria são necessários para a estrutura da pele. Os outros nutrientes, como as vitaminas antioxidantes, são importantes porque combatem o envelhecimento celular.

Fazer exercícios físicos também ajuda. Um treino que combine exercícios aeróbicos e de força são os ideais. Os exercícios aeróbicos ajudam na circulação e na diminuição da gordura e os exercícios de força aumentam o tônus muscular e da pele -o que deixa o tecido mais firme e menos propenso a desenvolver celulite.


BEBER ÁGUA AJUDA?

Sim. De acordo com a nutróloga, "o mais importante é uma adequada ingestão de água. Nós precisamos hidratar o nosso organismo. Os tecidos que estão perto da pele, mais periféricos, são os últimos a receber água".

Uma hidratação adequada favorece uma melhor circulação sanguínea e isso ajuda a diminuir a celulite.

Segundo a médica, dois litros de água por dia são o adequado para a maior parte dos adultos, mas pessoas que praticam mais exercícios físicos ou que ficam mais tempo expostas ao ar livre podem precisar de um consumo maior.


SUPLEMENTOS ALIMENTARES SÃO IMPORTANTES?

Para Garcez, os suplementos podem ajudar, mas não são milagrosos, como costumam prometer. Pessoas que não tem um estilo de vida saudável não são beneficiadas por suplementações. Por exemplo, se o indivíduo não consome a quantidade adequada de proteína, um suplemento de colágeno não vai ajudar na saúde da pele.

Para as pessoas que se hidratam e têm uma alimentação equilibrada, o consumo de suplementos alimentares à base de substâncias como colágeno e vitamina C podem ajudar a prevenir celulites.

Entretanto, a médica ressalta que alguns suplementos podem fazer mal ou podem não funcionar para algumas pessoas e, por isso, a suplementação deve ser feita sempre com o acompanhamento de um profissional.


COMO É FEITO O TRATAMENTO?

Quase todas as mulheres terão celulite e o nível de gravidade pode variar entre leve, moderado e grave, de acordo com a genética e com o estilo de vida de cada indivíduo. Por ser um problema estético que não compromete a saúde, quem é atingido pela condição só precisa procurar tratamento caso se sinta incomodado.

Segundo Módena, não existe cura, mas um profissional especializado em dermatologia e estética pode ajudar a diminuir essa condição.

O tratamento depende de cada paciente, mas, assim como os suplementos, não são milagrosos. Segundo a fisioterapeuta, os procedimentos são focados principalmente em melhorar a circulação linfática, promover a quebra de gordura e aumentar a produção de colágeno. Entretanto, para que o tratamento seja eficaz, é necessário adotar um estilo de vida saudável -ter uma alimentação balanceada, fazer exercícios físicos e se manter hidratado.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir