Cidadeverde.com
Últimas

Júri de acusado de matar estudante na Copa de 2014 é adiado

Imprimir

O Tribunal Popular do Júri de Erlândio Miranda Coelho, acusado de matar o estudante Ruan Pedreira, 21 ano, foi adiado para setembro. O crime ocorreu durante comemoração da Copa do Mundo de 2014. A vítima- que cursava Engenharia Mecânica - foi alvejada na cabeça e morreu após três dias de internação. O caso teve grande repercussão no estado, passou por cinco delegados e contou ainda com reconstituição e exumação do corpo. 

A data do Júri ainda será marcada, mas está na pauta de setembro. O Cidadeverde.com apurou que o adiamento se deu após um pedido da defesa, que alegou problemas de saúde, e foi deferido pelo juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri. 

A prisão do acusado só ocorreu em 2018, quatro anos após o crime. Ele foi preso na cidade de Piripiri, no Norte do Estado, após ser flagrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) com uma CNH falsa. Na época, Erlândio Miranda Coelho disse apenas que "não tinha a intenção de matar Ruan". 

As investigações do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) apontaram que Ruan Pedreira foi alvejado quando Erlândio Miranda efetuou vários tiros de pistola 380 ao ser expulso de um bar na avenida Maranhão, na zona Sul de Teresina. 

"Esse indivíduo chegou em um bar às margens do Rio Parnaíba e tentou adentrar com a namorada levando bebida, mas foi impedido. Lá, ele teve uma discussão com o segurança, jogou um copo de bebida no rosto do segurança e foi imobilizado e jogado pra fora. Então, ele foi até em casa, pegou uma pistola 380 e voltou, começou a fazer disparos em direção ao segurança. Nesse momento, houve uma correira e um dos tiros atingiu a cabeça do Ruan", disse o delegado Francisco Costa, o Baretta, à época do crime. 

 

Graciane Araújo
[email protected]

Imprimir