Cidadeverde.com
Geral

Facções usam a facilidade de adquirir armas para se armarem, diz delegado-geral

Imprimir

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com


As forças de segurança do Piauí avaliam que a facilidade para aquisição de armas de fogo está beneficiando as facções criminosas que usam essa flexibilização do porte e posse de arma para se armarem. A Polícia Civil e Militar concordam que existem mais armas circulando no estado, contribuindo para aumentar a criminalidade no Piauí.  

“Houve um aumento expressivo do número de crimes praticados com arma de fogo. Todo mundo está sentindo isso. São muitas armas apreendidas, então está tendo uma facilitação na aquisição de armas, inclusive essas facções estão se utilizando disso para se armarem”, destacou Luccy Keiko, delegado-geral da Polícia Civil. 

A avaliação do  coronel Scheiwann Lopes, comandante-geral da Polícia Militar, é semelhante. Além de mencionar o acesso a armamento clandestino proporcionado pela falta de fiscalização nas fronteiras do país, alertou que os criminosos também têm como alvo os civis que conseguem obter a posse de armas. 

"No Brasil, nos últimos anos, essa questão do aumento de armas entrando no país, houve também uma grande abertura e facilitação e isso logicamente aumenta o número de roubos e furtos de arma e vai parar esse armamento na mão da criminalidade", afirmou o militar.

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

De acordo com informações do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2022, o número de armas de fogo no Piauí com registros ativos no Sistema Nacional de Armas (Sinarm) cresceu cerca de 156% entre os anos de 2017 e 2021, saltando de 5.390 para 13.801 em três anos.

O estudo também revela que neste período houve um aumento de 140% na quantidade de novos registros. Chama atenção que desse total de armas contabilizadas no Sinarm, quase 13 mil estavam com o  registro expirado até o dia 31 de dezembro de 2021, ou seja, a situação de quase 93% era de irregularidades. 

Foto: Reprodução/CCom-PI

Segundo Luccy Keiko, as ações da Polícia Civil miram a aquisição de armas ilegais com o objetivo de diminuir a criminalidade. “Estamos fazendo esse trabalho de inteligência para tentar barrar, frear a aquisição de armas por parte desses indivíduos”, enfatizou o delegado. 

Por sua vez, Scheiwann Lopes também informou que a Polícia Militar tem reforçado e ampliado suas ações de controle do armamento irregular em circulação no estado. “Nesse mesmo período do ano passado tínhamos apreendido 500 armas, esse ano chegamos a apreender 659 armas", disse o coronel. 

Breno Moreno e Rebeca Lima
[email protected]

Imprimir