Cidadeverde.com
Geral

Em menos de três meses, Teresina já registrou mais de nove mil casos de dengue

Imprimir

Foto: Arquivo Cidade Verde

Em menos de três meses, Teresina já registrou mais de nove mil casos de dengue. As informações foram divulgadas através de boletim epidemiológico pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) na noite da sexta-feira (19). 

No boletim epidemiológico divulgado pela FMS em 27 de maio, a capital contabilizava 1.5 mil casos de dengue. A cidade, agora, está com mais de 9.3 mil casos da doença registrados. 

A FMS já chegou a identificar pelo menos 700 casos da doença no período de uma semana durante o mês de julho. No boletim epidemiológico desta semana foram contabilizados apenas 375 novas confirmações. 

Até o momento, nove óbitos foram registrados, sendo o último confirmado no boletim da primeira semana de julho. Outras quatro mortes seguem em investigação. 

O presidente da FMS, Gilberto Albuquerque, avaliou que a tendência é de que os casos continuem a diminuir nas próximas semanas. O médio levou em consideração o início do período do BR-O-BRÓ, em que diminui a incidência de precipitação e, consequentemente, a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue. 

“Nesse momento temos uma redução significativa, que coincide com esse período em que a chuva também reduziu, e esses picos que são de três a quatro anos têm que trabalhar para que não tenha mais o que tivemos nesse período”, destacou. 

Cuidados

Muitos dos casos de dengue podem ser evitados já que boa parte dos criadouros são localizados nas residências. O mosquito deposita os ovos em recipientes com água parada e os mesmos podem permanecer no local por um ano.

Entre os cuidados necessários estão:

  • Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;
  • Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água.
  • A população pode denunciar pontos suspeitos de formação de criadouros ou solicitar uma vistoria dos agentes de endemias para investigar a presença do mosquito ou seus ovos. Basta entrar em contato com a gerência de Zoonoses pelos telefones 3215-9143 e 3215-9144.


Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir