Cidadeverde.com
Geral

Presos suspeitos de trocar cartões para sacar dinheiro das vítimas

Imprimir
  • WhatsApp_Image_2022-08-23_at_15_29_44.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2022-08-23_at_15_29_44_(1).jpeg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2022-08-23_at_15_29_42.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2022-08-23_at_15_29_41.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • WhatsApp_Image_2022-08-23_at_15_29_41_(1).jpeg Renato Andrade/Cidadeverde.com

Dois suspeitos, identificados como Risinaldo Oliveira Soares e Francisco Mizael Fernandes, foram presos nesta terça-feira (23) na saída de um supermercado na zona Sul de Teresina. A dupla foi flagrada aplicando golpes financeiros em agências bancárias e caixas eletrônicos 24 horas. 

A prisão foi efetuada pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), que monitorava os suspeitos após denúncias na última segunda-feira (22). Com os dois homens foram apreendidos dezenas de cartões de crédito, maquinetas e extratos bancários falsos. 

"Eles ficam atentos aos caixas eletrônicos e identificam as pessoas com dificuldade na operação do cartão. Então oferecem ajuda e trocam o cartão da vítima. Nesta ação conseguem a senha do cartão e fazem saques", explica o delegado Tales Gomes, coordenador do Greco.

A investigação aponta que a dupla tem passagem pela polícia por crimes semelhantes. Risinaldo foi preso em Picos e Salvador, na Bahia, pelo uso dos chamados “chupa-cabra”, e Mizael preso em Sergipe e no Ceará pela prática da mesma modalidade de golpe. O Greco investiga agora a participação de outras pessoas no esquema criminoso. 

“Eles têm pessoas em outras cidades para fazer o saque desse dinheiro. Em Teresina a gente acha que ainda tinha algumas pessoas prestando apoio, mas temos certeza que há pessoas em outras cidades fazendo o saque. Estamos finalizando a autuação em flagrante e vamos investigar para tentar identificar algum parceiro deles”, pontuou o delegado. 

Pelo menos quatro vítimas reconheceram os criminosos e registraram boletim de ocorrência após a divulgação do caso. O aposentado Antônio Luis dos Santos, de 69 anos, conta revoltado que sofreu um prejuízo de quase R$ 3 mil após os criminosos o abordarem informando que o seu cartão precisava ser atualizado.

“Eles pediram para eu digitar a senha, e digitei. Sacaram mil reais, depois mais R$ 300 e depois fizeram uma compra de R$ 1.537. Quem tem um dinheiro desse não foi brincando não, foi trabalhando. Estava guardando para fazer uma reforma na minha casa, quando precisasse. Se existir justiça, espero conseguir recuperar esse dinheiro. Se fosse eu tentando fazer saques seguidos, talvez recusasse, mas eles fizeram. Acho que o banco precisa ver isso”, lamentou a vítima. 

Por fim, Tales Gomes reforça a importância da população se manter sempre atenta e reforçar os cuidados com a segurança ao manusear o cartão, nas agências ou caixas eletrônicos. “Não aceitar ajuda de pessoas estranhas.  A pessoa tem que estar identificada pelo banco onde está sendo atendido e fora do horário comercial não se deve aceitar ajuda, porque a probabilidade de golpe é muito maior”, concluiu o delegado.


Graciane Araújo e Breno Moreno
[email protected]

Imprimir