Cidadeverde.com
Política

"Antidemocrática", afirmam candidatos que não aparecem em propaganda eleitoral

Imprimir

Foto: Montagem/ Cidade Verde

Três dos noves candidatos a governador do Piauí vão ficar de fora do horário da propaganda eleitoral que começa nesta sexta-feira (26). Isso ocorre pois a distribuição do tempo é feita com base no tamanho da representação federal de cada partido. 

Ouvidos pelo portal Cidade Verde, os candidatos Geraldo Carvalho (PSTU), Lourdes Melo (PCO) e Ravena Castro (PMN) têm uma opinião semelhante sobre ficarem sem tempo para falarem sobre as suas propostas na propaganda eleitoral. 

Lourdes Melo, que já é reconhecida pelas duras críticas as instituições que organizam as eleições, disse que não teria chances de ser conhecida pelo eleitorado, caso não tivesse viralizado nas redes sociais com o meme “Você quer me calar”, que ocorreu durante debate promovido pela TV Cidade Verde. 

“Antes do resultado de toda a repercussão do meme ‘você quer me calar’ eu não tinha nenhuma possibilidade de ser conhecida nos 224 municípios porque não tempos financiamento e nem tempo de TV, agora o povo está me conhecendo. O TRE está tendo ingerência em uma eleição que deveria ser mais livre, criando várias regras”, pontuou. 

Já Geraldo Carvalho opinou que às eleições não são democráticas devido à distribuição do tempo de TV e rádio para cada candidato e disse que vai apostar na criação de conteúdo para as redes sociais. 

“As eleições não são completamente democráticas, sendo determinadas pelo poder econômico. Um dos critérios para ter tempo é ter representação no Congresso Nacional, então a nossa aposta está sendo as redes sociais. 48% da população decidirá o voto a partir das redes sociais e é um voto muito importante que vamos priorizar”, explicou. 

A candidata Ravena Castro também avaliou como antidemocrático a divisão do tempo de propaganda eleitoral entre os candidatos. 

“Infelizmente, a lei beneficia os maiores partidos e desmerece os menores. Nosso olhar é diferente. É o menor e o mais vulnerável que precisa de atenção”, pontuou. 

Paula Sampaio 
[email protected]

Imprimir