Cidadeverde.com
Picos

Paciente diagnosticado com "doença do tatu" segue em tratamento no Hospital de Picos

Imprimir

Foto Pixabay

O paciente natural de Simões-PI, de 22 anos, diagnosticado com micose pulmonar causada pelo fungo Paracoccidioidomicose continua internado no Hospital Regional Justino Luz, em Picos. A informação foi confirmada na manhã desta terça-feira (30) pela assessoria da unidade de saúde.

O jovem segue em tratamento e está internado em leitos clínicos da enfermaria.

“O paciente segue bem, internado na enfermaria. Por conta da medicação que ele está tomando, vai precisar ficar mais uma semana internado até concluir o tratamento”, informou a assessoria.

Das outras duas pessoas que se envolveram na caçada e foram contaminadas pelo fungo, uma delas, adolescente de 16 anos, veio a óbito em 20 de agosto.

A segunda pessoa estava em tratamento em Teresina e recebeu alta hospitalar.

A doença

Segundo o Ministério da Saúde, a paracoccidioidomicose (PCM) é a principal micose sistêmica no Brasil e representa uma das dez principais causas de morte por doenças infecciosas e parasitárias, crônicas e recorrentes, no país.

A transmissão

Paracoccidioidomicose não é transmitida por animais ao homem, nem de uma pessoa para outra. A transmissão é sempre pela inalação de esporos que estão no solo contaminado (poeira que sai do buraco).
A pessoa infectada pode apresentar lesões na pele, tosse, febre, falta de ar, comprometimento pulmonar, emagrecimento, inclusive podendo manifestar a forma grave vindo a óbito.


Paula Monize
[email protected]

Imprimir