Cidadeverde.com
Vida Saudável

FMS investiga duas mortes suspeitas por Chikungunya; número de infectados já passa de 1 mil

Imprimir

Foto: Arquivo Cidade Verde

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) está investigando se duas mortes ocorridas em Teresina foram causada pela Chikungunya, doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. A informação foi divulgada no Boletim Epidemiológico da capital da sexta-feira (02). 

Até o momento, Teresina possui três óbitos em decorrência da Chikungunya devidamente comprovados. No total, a cidade já registrou 1.3 mil casos de pessoas diagnosticadas com a doença. 

Segundo informações da Fundação Fio Cruz, os principais sintomas da doença são febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele.

A boa notícia é que quem já teve a Chikungunya não pode pegar doença novamente e estará protegido contra uma segunda infecção. 

DENGUE 

A FMS também segue investigando outros três casos de possível mortes ocorridas em decorrência da dengue em Teresina. Até o momento, a capital registrou nove óbitos causados pela doença. No total, pelo menos 10 mil pessoas já foram infectadas com o mal neste ano apenas na cidade. 

POPULAÇÃO DEVE FICAR ATENTA

Segundo levantamentos da equipe de epidemiologia, mais de 80% dos criadouros dos mosquitos mosquito Aedes aegypti, causador das doenças, são identificados em ambientes domésticos.

Veja alguns dos cuidados que devem ser tomadas para envitar proliferação do mosquito.

  • Atente-se aos vasos de plantas
  • Coloque areia até a borda dos pratinhos para evitar o acúmulo de água. Alternativamente, lave-os uma vez por semana com sabão e escova.
  • Livre-se de objetos que acumulam água
  • Dê o destino correto a latas, garrafas, potes, pneus e qualquer outro tipo de objeto que possa servir como criadouro, optando pela reciclagem sempre que possível.
  • Armazene garrafas da forma correta
  • Se você deseja guardar garrafas e outros objetos que podem acumular água, armazene-os tampados ou com a boca para baixo.
  • Evite a contaminação de calhas e caixas-d’água
  • As calhas devem ser mantidas desobstruídas e livres de folhas e galhos, enquanto a caixa-d’água deve estar sempre bem tampada.
  • Higienize recipientes que armazenam água
  • Tanques, barris e tonéis utilizados para guardar água da chuva, por exemplo, devem ficar tampados e ser higienizados semanalmente com escova e sabão. As piscinas devem ser tratadas com cloro.
  • Tenha cuidado com o lixo
  • Amarre bem as sacolas e deposite-as em lixeiras fora do alcance de animais. Não jogue lixo em terrenos baldios.
  • Utilize proteção individual
  • As medidas coletivas de proteção podem ser complementadas com cuidados como o uso de repelentes e inseticidas, a instalação de mosquiteiros e telas em portas e janelas e a preferência por roupas de mangas compridas.


Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir