Cidadeverde.com
Picos

Júri Popular de agenciadores e executores de empresário é iniciado em Picos

Imprimir

Fotos: Júlia Borges/TV Cidade Verde Picos

Nesta segunda-feira (05) teve início a sessão do Tribunal do Júri Popular dos acusados de agenciarem e executarem o empresário Epaminondas Coutinho. O crime ocorreu em junho de 2013 e a vítima foi assassinada em frente à sua residência quando retornava com o filho da escola.

O júri está acontecendo no auditório do Fórum da Comarca de Picos e é presidido pela juíza da IV Vara Criminal, Nilcimar Rodrigues Araújo. No banco dos réus estão Tiago Osório Cavalcante e o irmão Yago Osório, Irinaldo José do Nascimento (Teté) e Manoel dos Santos Matos (Santinho).

O advogado de acusação, José Ary Feitosa, destacou que espera um resultado justo sobre o caso.

“Esperamos um resultado justo tendo em vista que uma parte já foi definido com a condenação da mandante”, disse o advogado.

O advogado de defesa, Feuma Fontes, comentou sobre a complexidade do caso, mas acredita num resultado justo.

“É um fato complexo que já ocorreu há bastante tempo, um processo com vários volumes, situações que precisam ser elucidadas. O que a gente espera é que cada um seja responsabilizado pelo que fez”, frisou.

Caso Epaminondas

O empresário jaicoense Epaminondas Coutinho Feitosa foi assassinado à tiros na frente do filho quando chegava em casa. O crime ocorreu há 9 anos e a viúva Antônia Sousa de Andrade Rocha, foi apontada como a mandante e condenada há 24 anos de prisão inicialmente em regime fechado.

Após o trabalho de investigação, o quarteto foi identificado como agenciadores e executores.

Nos autos do processo, a causa do homicídio consta que seria um seguro de vida que a vítima havia feito e deixaria para o filho.

 

Paula Monize
[email protected]

Imprimir