Cidadeverde.com
Esporte

Com 2 de Debinha, Brasil goleia a África do Sul por 6 a 0 em amistoso

Imprimir

Jogando no estádio Moses Mabhida, na África do Sul, o Brasil goleou a seleção sul-africana, por 6 a 0, na tarde desta segunda-feira (5), em amistoso.

Foto - Rafael Ribeiro - CBF

A equipe comandada pela técnica Pia Sundhage contou com gols de Debinha [duas vezes], Adriana, Bia Zaneratto, Duda Francelino e Kathellen para sair com o resultado positivo.

Para o segundo amistoso seguido contra as sul-africanas [o primeiro aconteceu na última sexta-feira (2) e terminou com vitória brasileira por 3 a 0], a técnica Pia Sundhage mandou a campo uma equipe com: Lorena; Antônia, Kathellen, Rafaelle e Tamires; Duda Francelino, Ary Borges e Adriana; Jaqueline, Debinha e Bia Zaneratto.

O time contou com três mudanças em relação às atletas que iniciaram a última partida entre as seleções. Duda Francelino entrou na vaga de Duda Sampaio, enquanto Jaqueline e Bia Zaneratto ocuparam os lugares de Geyse e Kerolin.

A África do Sul foi a campo com a seguinte escalação montada pela técnica Desiree Ellis: Swart; Hadebe, Van Wyk, Mbane e Gamede; Jane, Kgoale e Motlhalo; Cesane, Magaia e Seoposenwe.

Os primeiros 15 minutos foram de amplo domínio do Brasil. Apostando nos lances pelo lado esquerdo durante os movimentos iniciais, a seleção levou perigo ao gol adversário em chute de Tamires, que Swart caiu no canto para espalmar.

Pouco tempo depois da defesa, a goleira sul-africana virou 'vilã'. Ao tentar repor a bola, acertou sua própria companheira. A sobra ficou com Adriana, que, dentro da área, bateu rasteiro no canto para abrir o placar para o Brasil.

Ainda antes antes dos 20 minutos, a seleção brasileira teve mais uma chance clara com Bia Zaneratto. A atacante recebeu um cruzamento e se posicionou entre as defensoras adversárias para cabecear no canto, mas acabou tirando demais a bola da goleira e mandou para fora.

Depois dos 20 minutos, o ritmo do jogo caiu. A seleção brasileira passou a errar muitos passes e, quando teve chances de finalizar, mandou longe do alvo ou deixou o trabalho da goleira Swart mais fácil com chutes fracos.

Por outro lado, a África do Sul começou a incomodar mais a defesa brasileira. As principais jogadas das sul-africanas saíram pelo lado esquerdo, obrigando a goleira Lorena a sair nos pés de Seoposenwe em um cruzamento e Tamires a fazer corte crucial em uma bola alçada.

Nos acréscimos, Debinha recebeu lançamento de Antônia pelo lado direito. De frente para o gol, encobriu a goleira Swart e levou o placar em 2 a 0 a favor do Brasil para o intervalo.

O Brasil voltou do intervalo no mesmo ritmo que começou o jogo. Logo aos dois minutos, Bia Zaneratto aproveitou novo erro da goleira adversária e, ao entrar na área, foi derrubada por Swart, que tentava consertar o vacilo. Com o pênalti marcado, a própria atacante foi para a bola e bateu no canto direito da meta para fazer o terceiro.

Poucos minutos depois, o Brasil chegou ao quarto gol. Debinha recebeu na área e finalizou. Swart deu rebote e a bola se ofereceu para Duda Francelino, que tirou a marcação e empurrou para as redes.

O quinto gol veio ainda antes dos 15 minutos. Debinha bateu falta na área, Bia Zaneratto tentou o cabeceio e a bola se ofereceu para Kethellen. A zagueira mergulhou e deixou o seu na partida.

Depois do gol de Kethellen, a técnica Pia Sundhage mexeu na seleção em busca de dar tempo em campo para outras jogadoras.

Uma das atletas que não saiu, Debinha foi a protagonista do Brasil na reta final do confronto. Aos 29 minutos, teve uma chance cara a cara com Swart, mas finalizou errado e mandou a bola para fora.

Se não deu pelo chão, a camisa 9 da seleção resolveu pelo alto. Kerolin fez boa jogada individual pelo lado esquerdo e cruzou na área. Mesmo com pouca estatura, Debinha subiu e cabeceou para o gol, fechando o placar em 6 a 0.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir