Cidadeverde.com
Geral

Taxista leva golpe de R$ 100 mil ao comprar casa que tinha dono em Teresina

Imprimir
  • chave.jpg Renato Andrade / Cidadeverde.com
  • taxi3.jpg Renato Andrade / Cidadeverde.com
  • taxi2.jpg Renato Andrade / Cidadeverde.com
  • taxi1.jpg Renato Andrade / Cidadeverde.com

Uma taxista levou um golpe de R$ 100 mil ao comprar uma casa que já tinha dono. A vítima -que pediu para não ser identificada- conta que comprou o imóvel para construir uma loja de roupas. Contudo ao iniciar a reforma, a mulher descobriu que o imóvel já tinha um proprietário que também teria sido enganado. O caso é investigado pelo 24° Distrito Policial. 

A negociação teve início ainda no fim do mês de junho com um suposto corretor de imóveis que já foi intimado, mas não compareceu à delegacia. 

Bastante abalada, a vítima conta que o dinheiro era resultado de uma vida inteira de trabalho. 

"Tinha um sonho de mudar de ramo. Vendi alguns bens para conseguir comprar o imóvel. Conclui o pagamento em duas parcelas de R$ 40 mil e outra de R$ 20 mil. Recebi a chave, comecei a construir e 20 dias depois apareceu o dono do imóvel. Estou sem casa, sem dinheiro e devendo. Ele destruiu um sonho de uma mulher que é viúva e tem três filhos" disse a vítima bastante abalada.

Aos prantos, ela pede que o dinheiro seja devolvido. A taxista conta que a negociação com o suposto corretor de imóveis foi, inclusive, registrada em cartório. 

Foto: Renato Andrade/ Cidadeverde.com

"Ele disse que era o dono do imóvel há quatro anos. Ele e a esposa assinaram e registramos em cartório, mas deu nisso. Depois que descobri, ele desmanchou negócio, pediu 60 dias para devolver o dinheiro e nunca devolveu", lamenta a taxista. O verdadeiro proprietário do imóvel também se sente lesado e tem prestado apoio à  taxista. 

A delegada Maria Laura,  titular do 24°DP, disse que está fazendo o levantamento de outros endereços do suspeito para intimá-lo novamente e deve representar pela prisão. "Independente dele aparecer ou não será indiciado, pois está caracterizado o crime de estelionato", disse a delegada. 

Graciane Araújo 
redaçã[email protected]

Imprimir