Cidadeverde.com
Esporte

Por vaga na Copa do Brasil, Ceni aposta em "descansados" do São Paulo

Imprimir

Rogério Ceni escalou o São Paulo contra o Corinthians, no domingo (11), pensando no Flamengo, pela volta da semifinal Copa do Brasil, nesta quarta-feira (14).

Foto - Divulgação - saopaulofc.net

Os times se encontram no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), a partir das 21h45 (de Brasília). Em sua coletiva, o técnico afirmou que a exaustão do elenco, que não conseguiu treinar após a semifinal da Sul-Americana, na quinta-feira (8), foi importante para sua decisão.

O desgaste, como o próprio treinador pontuou, vai além da parte física, e engloba também um cansaço mental por causa da sequência de jogos decisivos, seja nos torneios eliminatórios ou no Brasileiro.

De todo o elenco do São Paulo no ano, Jonathan Calleri é quem mais atuou, com 53 jogos. Esteve em campo durante 3.911 minutos. Mesmo assim, diante do Corinthians, ele entrou no segundo tempo, em uma tentativa de fazer com que o São Paulo tivesse mais poder de fogo.

Ceni ainda mandou a campo Luciano e Patrick, mas não saiu do empate com o Corinthians. E depois ainda justificou. "Vocês viram como o Patrick, Luciano, entraram? Então, estão todos jogadores exaustos", analisou o comandante.

Luciano, que começou o ano sem poder atuar, por causa de contratura na panturrilha, já atuou em 46 jogos nesta temporada, em um total de 2.554 minutos.

Patrick perdeu oito jogos no início da temporada com uma lesão na coxa. Em julho, ficou fora por mais três partidas por causa de um edema na coxa. Ao todo, jogou 42 jogos em 2022, totalizando 2.143 minutos.

Por causa disso, jogadores importantes do elenco, como Léo, Diego Costa e Rodrigo Nestor, nem entraram em campo diante do Corinthians.

Léo afirmou ter terminado o confronto contra o Atlético-GO "rastejando", de tanto cansaço. Embora tenha entrado em campo 45 vezes, por causa da falta de zagueiros, dificilmente foi substituído neste ano, atuando 3.862 minutos.

Nesta situação também entra Diego Costa. Eleito por Ceni como capitão do time, pela sua liderança, mas também pela imposição física, ele foi um dos destaques contra o Atlético-GO, com 19 desarmes. São 45 jogos e 3.760 minutos disputados na temporada.

Um dos que mais atuou no meio de campo, responsável pela criação do time, Rodrigo Nestor também não saiu do banco de reservas. Mais uma vez pesou a avaliação da comissão técnica e os minutos que ele esteve em campo em 2022. Em 49 partidas, atuou em 3.481 minutos.

Por isso, Rogério preferiu preservar seus principais atletas visando ao jogo de volta contra o Flamengo, na próxima quarta-feira (14). O São Paulo tem a difícil missão de vencer a equipe carioca por dois gols de diferença para levar a decisão de quem será finalista da Copa do Brasil para os pênaltis.

Jogando no Maracanã, o rubro-negro pode até perder por um gol de diferença que estará classificado. 

"Tem que ser (uma partida) perfeita, e mesmo perfeita você não tem a garantia de que você vai sair. Mas você tem a oportunidade, então não vamos jogar fora essa oportunidade. Temos mais 90 minutos. Se eu não mostrar que é possível, como eles vão acreditar? Sei que é difícil, o melhor time, sem problema. Mas não vou me acovardar. Temos de fazer nosso melhor", resumiu Ceni, sobre o duelo com os cariocas.

Ainda que possa contar com nomes importantes poupados contra o Corinthians, a lista de desfalques de Ceni é grande: Gabriel Neves, Arboleda e Nikão seguem se recuperando de lesões, enquanto Felipe Alves, Marcos Guilherme, Nahuel Ferraresi e Nahuel Bustos não estão inscritos na Copa do Brasil.

Portanto, uma possível escalação inicial do São Paulo tem: Jandrei, Igor Vinicius, Diego Costa, Léo e Reinaldo; Pablo Maia, Rodrigo Nestor, Alisson e Patrick; Luciano e Calleri.

O Flamengo, por sua vez, deve ir a campo com o time que vem atuando nas competições de mata-mata -as únicas ausências são Bruno Henrique e Rodrigo Caio, em recuperação.

O técnico Dorival Júnior deve começar a partida com: Santos; Rodinei, David Luiz, Léo Pereira e Filipe Luís; Thiago Maia, João Gomes, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Pedro e Gabi.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir