Cidadeverde.com
Picos

Após condenação pela morte de Epaminondas, fugitivo Santino é preso em Minas Gerais

Imprimir

Foto: Reprodução/Polícia Civil

Na madrugada desta terça-feira (20) a Polícia Civil do Piauí em parceria com a Polícia Civil de Minas Gerais deu cumprimento a mandado de prisão em desfavor de José Manoel dos Santos Matos, vulgo Santino. O indivíduo é condenado pelo Tribunal do Júri pela morte do empresário, Epaminondas Coutinho, e estava foragido há mais de sete anos.  

A prisão foi realizada na cidade de Uberlândia, onde Santino estava refugiado na residência de familiares. O trabalho investigativo foi realizado pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco).

Após ser condenado pela participação no assassinato do empresário, Santino foi condenado a 26 anos e 4 meses de reclusão pelo crime de Homicídio (pistolagem) e a 1 ano de 3 meses de detenção pelo crime de posse ilegal de arma de fogo de uso proibido.

 A conclusão do júri ocorreu em 06 de setembro, onde também foram condenados os agenciadores e executores do empresário. T.O.C foi condenado a 30 anos de reclusão. Y.O.C foi condenado a 28 anos e 7 meses de reclusão. E I.J.N foi condenado a 26 anos e 4 meses de reclusão. 

Julgamento

O júri popular foi iniciado no dia 05 de setembro, no auditório do Fórum da Comarca de Picos, onde foram julgados os agenciadores e executores do empresário Epaminondas Coutinho. 

A sessão foi presidida pela juíza da IV Vara Criminal, Nilcimar Rodrigues Araújo. Foram julgados e condenados Tiago Osório Cavalcante e o irmão Yago Osório, Irinaldo José do Nascimento (Teté) e Manoel dos Santos Matos (Santinho). 

Foto: Paula Monize

Condenação

O Conselho de Sentença reconheceu por maioria de votos a materialidade dos fatos, onde os acusados Irinaldo José do Nascimento e Manoel dos Santos Matos foram os autores do homicídio.

O réu Tiago Osório Cavalcante é considerado agenciador à medida que contratou pessoas para matar a vítima e o seu irmão Yago Osório foi visto nas imediações da cena do crime por câmeras de segurança.

Foto: Jaqueline Figueredo

O réu Tiago Osório Cavalcante foi condenado a 30 anos de reclusão e seu irmão Yago Osório Cavalcante foi condenado a 28 anos e 7 meses de reclusão. Já Manoel dos Santos Matos foi condenado a 26 anos e 4 meses de reclusão pelo crime de homicídio e a 1 ano de 3 meses de detenção pelo crime de posse ilegal de arma de fogo de uso proibido. O réu Irinaldo José do Nascimento  foi condenado a 26 anos e 4 meses de reclusão.

A juíza da 5ª Vara Criminal, Nilcimar Rodrigues de Araújo Carvalho, concedeu ao Yago Osório a possibilidade de recorrer da sentença e pedir cumprimento em liberdade. Já os demais réus foram impossibilitados de recorrerem à sentença, cumprindo a prisão em regime fechado.

Relembre o caso

Epaminondas Coutinho Feitosa foi assassinado na porta de casa, com cerca de 9 tiros, no dia 8 de junho de 2013, quando retornava de uma atividade na escola do filho. A mandante do crime foi sua esposa, Antônia Andrade, que, segundo as investigações, cometeu o delito para receber um seguro de vida em nome da vítima.

Ela foi condenada a 24 anos de prisão no ano de 2015, mas havia recebido Habeas corpus e estava foragida desde 2017, tendo sido recapturada no ano passado.

Os executores foram presos menos de um mês após o crime, no dia 05 de julho de 2013. De todos os envolvidos, apenas Santinho segue foragido.

Paula Monize
[email protected]

Imprimir