Cidadeverde.com
Geral

Brasil pode deixar de arrecadar R$ 3 bi na Copa 2022 por falta de regularização em apostas

Imprimir


Grandes eventos do mundo esportivo são capazes de gerar retornos financeiros gigantescos. Além disso, eles impulsionam as apostas esportivas. 

Exemplo disto é a quantidade de casas de apostas que estão operando na atualidade no mercado brasileiro, como, por exemplo, a Bet365. Inclusive, outras empresas do ramo não param de chegar por aí. Quem tem a ganhar são os jogadores brasileiros, que contam com mais opções de investimentos.  

Falta de arrecadação na Copa do Mundo 2022

A Copa do Mundo da FIFA é um exemplo destes grandes eventos que geram bilhões em arrecadação por meio dos palpites e dos investimentos dos apostadores. Só que para a edição deste ano, que será realizada de 20 de novembro a 18 de dezembro, no Qatar, o Brasil não terá arrecadação com as casas de apostas. 

Isso porque o mercado ainda não está regulamentado e regularizado por aqui. Estima-se que a receita perdida é de aproximadamente R$ 3 bilhões, fora os R$ 2 bilhões destinados para a venda de licenças operacionais. 

Este dinheiro que deixa de entrar nos cofres públicos poderia ser utilizado em diversos setores da sociedade brasileira.   
Mas essa falta de regulamentação não vai impedir que as casas de apostas operam por aqui, como já acontece normalmente. 
Isso porque estas empresas são registradas fora do Brasil e contam com licenças internacionais para o seu funcionamento. Isto significa que as empresas vão oferecer seus serviços, arrecadar e não deixar nenhuma verba em imposto ou algo do tipo.

Como está o processo de legalização das apostas?

Em 2018, Michel Temer, que era o presidente da época, assinou a lei de número 13.756/18. Ela previa que as apostas esportivas precisavam ser regulamentadas e legalizadas dentro do prazo máximo de quatro anos – o que não deve acontecer, ao que tudo indica.  

Isso porque o atual presidente, Jair Bolsonaro, optou por colocar na gaveta o decreto de execução desta lei. 
Em partes, esta ação foi motivada pela ala conservadora do Congresso Nacional, que fez pressão no chefe do poder executivo.  O ano é de eleições.

Fonte: ZoomViewer

Vale destacar que, no Congresso Nacional, a legalização das apostas, jogos de azar e bingo foi aprovada na Câmara dos Deputados, precisando passar agora pelo Senado. 

Como apostar legalmente no Brasil

Como citado anteriormente, mesmo sem a regulamentação, no Brasil é possível, sim, você fazer as suas apostas de maneira legal, sem problemas. Operadoras com boas opções de investimentos e retornos não faltam. A Bet365 é um exemplo. 

A primeira coisa a ser feita para você dar os seus palpites é se cadastrar em uma casa que tenha uma boa reputação e que seja reconhecida de maneira nacional e internacional. 

Só faça o seu registro em empresas que contem com ao menos uma licença de confiança, como, por exemplo, a Curaçao eGaming e a Malta Authority Gaming (MGA).

Se cadastre com os seus dados pessoais e não deixe de resgatar o bônus de boas-vindas – ele é ótimo para dar um upgrade no seu poder de investimento logo nas primeiras apostas. Feito isso, é só escolher o esporte no catálogo da empresa, a competição e o evento em qual você irá dar os seus palpites. Mercados de apostas não faltam. 

As operadoras oferecem opções para todos os tipos de apostadores, desde aqueles que gostam de apostas mais simples e diretas, só para se divertir, como também aqueles que buscam lucrar e fazer desta atividade uma renda de extra. 

Os mercados mais populares são: moneyline (resultado final ou 1 x 2), total (under / over), handicap europeu, dupla-chance (hipótese-dupla) e empate anula aposta (draw no bet).


Da Redação
[email protected]

Imprimir