Cidadeverde.com
Geral

Baretta diz que Polícia já identificou homens que mataram empresário

Imprimir

 

 

Atualizada às 10h40

O coordenador do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Francisco Costa, o Baretta,  informou nesta terça-feira (27) que a linha de investigação é roubo seguido de morte no assassinato do empresário Rafael Soares, 25 anos. Baretta garantiu ainda que já foram identificados os dois suspeitos de matar o empresário. Segundo o delegado, a vítima estava sendo monitorada. 

Foto: Renato Andrade

 

“Afirmamos isso porque a equipe já levantou que a vítima vinha sendo monitorada pelos seus algozes, que já estão devidamente identificados. São indivíduos conhecidos pela prática de crime de roubo, assalto, tráfico de drogas. Os investigadores já estão diligenciando e eu acredito que nas próximas horas eles já estarão presos e o crime devidamente esclarecido”, destacou Baretta. 

Segundo o delegado, a vítima foi atingida com um dos  disparos efetuados pelos criminosos.  Um dos tiros atingiu a região da nádega esquerda. De acordo com Baretta, o projétil atravessou o corpo da vítima e feriu a parte superior direita do tórax. Segundo o delegado, a bala teria atingido vários órgãos internos da vítima.

 

“Já sabemos quem é o autor do crime. Eles sabiam que esse rapaz trabalhava com a intermediação na compra de gado e no sentido de vender para frigoríficos. Geralmente, ele andava com uma boa quantia de dinheiro em espécie”, acrescentou o delegado.

Os peritos localizaram ainda dentro do veículo de Rafael Soares um projétil da arma utilizada no crime em bom estado. Ele será submetido a micro comparação balística afim de identificar se a arma já foi utilizada em outro crime na cidade.

 

Atualizada às 9h

Imagem de uma câmera de segurança mostra o momento em que o empresário Rafael Soares Sousa, de 25 anos, foi atingido com cerca de cinco tiros na manhã de ontem (26), em frente a sua residência, no bairro Lourival Parente, na zona Sul de Teresina. Ele não resistiu aos ferimentos e faleceu no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

Na gravação é possível perceber que os suspeitos estão parados em um carro, quando o empresário sai de sua residência e vai até o seu veículo.

Nesse momento os suspeitos tentam abordar Rafael, mas ele corre e é alvejado a tiros. Antes de fugir os suspeitos levaram a mochila de Rafael, mas deixaram o celular dele.

A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Segundo a família, Rafael Soares usava a mochila, que foi levada pelos assaltantes, para transporte de valores, mas não sabe se na hora do assalto ele estava com dinheiro. Na mochila, ele costumava levar um tablet.  A família disse também que ele nunca relatou qualquer tipo de ameaça.

Foto: arquivo pessoal 

 

Rafael era solteiro e trabalhava no ramo de transporte de bovino, trazendo animais do Pará, Maranhão para Teresina.

Família não acredita em latrocínio

A irmã da empresário Rafael Soares de Sousa, Sthefanie Soares, diz que a família não acredita na possibilidade de latrocínio contra o jovem por conta da dinâmica do crime. Rafael foi atingido por pelo menos 5 tiros em frente a sua residência.
 
“Não parecia simplesmente um assalto. Porque a gente achou muito estranho a forma como ele foi abordado, a forma como ele nem teve a reação de reagir e já chegaram disparando”, lamentou a irmã do empresário. 

Foto: Nataniel Lima

A irmã da vítima diz que no primeiro momento a família pensou em latrocínio, porém, ao ver as imagens da câmera de segurança, já pensam em outra hipótese.  “A gente estranha porque eles levaram somente a bolsa. Ele tinha um carro chamativo e não levaram. Por que não levar? Não pareceu uma situação de assalto”, acrescentou a irmã do empresário.

Segundo Sthefanie, Rafael sempre foi uma pessoa esforçada, muito querido por todos e que começou a trabalhar muito cedo. Para a irmã, o sentimento nesse momento é de revolta ao mesmo tempo que de esperança para que os responsáveis sejam identificados e punidos. 

A família cobra uma solução do caso no menor intervalo de tempo porque precisa de respostas. Sthefanie diz não entender a necessidade de tantos disparos contra o irmão.  “Precisamos saber quem foi, o porquê, qual era a necessidade de ter tantos disparos. Porque assim, se você ia assaltar, o menino nem agiu, o menino não tinha arma, por que atirar daquele jeito?”, questionou a jovem. 

Sthefanie informou ainda que Rafael Soares nunca relatou nenhum tipo de ameaça que vinha sofrendo. Mas lembrou à reportagem de um episódio há anos atrás em que ele quase sofreu um sequestro.  “Ele não relatava tipos de ameaças, mas a gente entende que o ramo bovino é um ramo muito competitivo. Há um tempo ele sofreu uma tentativa de sequestro ao ajudar um motorista. Por pouco não perdeu a vida”, relembrou Sthefanie.

O velório acontece na Pax União e o sepultamento está previsto para acontece às 10h no cemitério Jardim da Ressurreição. Amigos, colegas e familiares estão dando o último adeus ao empresário. Do lado de fora, há um sentimento de perda pela partida de um jovem querido e esforçado. 

Foto: Nataniel Lima

 

 

Bárbara Rodrigues e Nataniel Lima
[email protected]

Imprimir