Cidadeverde.com
Política

Joel Rodrigues afirma que não fechará portas para Bolsonaro ou Lula

Imprimir

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

O candidato a senador Joel Rodrigues (Progressistas) afirmou nesta terça-feira (28) que, caso seja eleito, não pretende fechar portas para nenhum nome que chegar à presidência, seja Lula (PT) ou Jair Bolsonaro (PL). Ele defendeu a integração de municípios com o Governo Federal e defendeu uma boa relação entre os Poderes. 

Bolsonaro, que é do PL, partido que não tem candidato a senador no Piauí, mandou um “boa sorte” para o candidato do Progressistas em recente live nas redes sociais. Joel Rodrigues comentou sobre o episódio, dizendo respeitar e agradecer o aceno do presidente. Mas, relembrou estar fazendo a sua campanha para o Senado, sem vincular-se a nenhum candidato à presidência. 

“O que quero deixar claro é que não fizemos a nossa candidatura vinculada a quem quer que seja que esteja no cenário nacional. Fui prefeito de Floriano e sei o quanto é necessário a integração dos municípios, do estado com o governo federal. Fiz isso com o Lula, com a Dilma, Michel Temer e com o Bolsonaro também”, disse. 

Joel Rodrigues, inclusive, explicou o motivo pelo qual decidiu manter-se afastado da polarização que tonifica a campanha presidencial. 

“Através de uma parceria com o ministro Ciro e com o governo federal [de Bolsonaro], entregamos 499 casas, imagine se tivéssemos fechado as portas? Eram famílias que iriam ficar sem casas. Não quero entrar nessa disputa, porque não tenho bola de cristal, e não quero um mandato pra mim, quero servir ao estado e precisamos bater na porta de quem estará na presidência”, disse. 

Quanto a um alinhamento com o atual presidente, Joel Rodrigues minimizou o aceno de Bolsonaro. E, para embasar a posição que defende enquanto candidato, o ex-prefeito de Floriano revelou que, durante agendas de campanha, acabou cruzando com o ex-governador Wellington Dias (PT), candidato a senador, na cidade de União, e que também o cumprimentou. 

“A própria palavra nos diz que toda autoridade é constituída por Deus, a gente precisa respeitar e agradecer. Agora, não tive nenhuma conversa [com Bolsonaro]. Inclusive, recentemente, encontrei o ex-governador Wellington Dias em União e o que fizemos? Nos cumprimentarmos, desejei boa sorte e ele a mim. Naturalmente, não custa nada desejar boa sorte para A, B ou C”, defendeu. 

 

Paula Sampaio 
[email protected]

Imprimir