Cidadeverde.com
Vida Saudável

Envelhecimento saudável: acompanhamento é importante em todas as fases da vida

Imprimir

Foto: Freepik

 

A expectativa de vida da população tem aumentado. Segundo o IBGE, em 2019, o brasileiro vivia em média, até os 76,6 anos já em 2020, a expectativa passou de 72,8 para 73,1 anos para homens e de 79,9 para 80,1 anos para mulheres. Esse crescimento representa uma importante conquista social e resulta da melhoria das condições de vida, com ampliação do acesso a serviços médicos preventivos e curativos, avanço da tecnologia médica, ampliação da cobertura de saneamento básico, aumento da escolaridade e da renda, entre outros determinantes.

As ações dirigidas às pessoas da terceira idade precisam levar em conta a heterogeneidade desse grupo populacional. Um dos principais objetivos do cuidado ofertado aos idosos é a postergação do declínio funcional, contribuindo para a manutenção do bom desempenho do organismo e de suas funções pelo maior tempo possível. Para o alcance dessa meta, é fundamental a avaliação do estado de saúde em sua totalidade, de forma longitudinal.

As equipes da Atenção Primária à Saúde conduzem esse acompanhamento e podem identificar sinais de alerta ou condições crônicas de saúde, que provocam ou agravam a diminuição da capacidade funcional do idoso, comprometendo a autonomia e/ou independência para a realização das atividades da vida diária. A abordagem do envelhecimento ativo tem como parâmetro o reconhecimento dos direitos das pessoas idosas e os princípios de independência, participação, dignidade, assistência e autorrealização, determinados pela Organização das Nações Unidas.

Para planejar ações voltadas para esse público e atender às necessidades individuais, é muito importante que os profissionais realizem a avaliação multidimensional, que se caracteriza pela identificação de sinais e alertas nas dimensões clínica, funcional e psicossocial. São vários os instrumentos que podem ser utilizados. Entre eles, podemos citar, por exemplo, a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa e sua ficha espelho, instrumento estratégico de acompanhamento das condições de saúde na rede.

De acordo com a condição funcional identificada a partir dessa avaliação, é possível estratificar perfis e estabelecer planos de cuidado que melhor vão responder às suas necessidades. A elaboração desse plano, coordenado e integrado, em curto, médio e longo prazo, busca a promoção da saúde, a recuperação e/ou a manutenção da capacidade funcional.

O registro da avaliação multidimensional, por meio de procedimento específico existente no PEC (Prontuário Eletrônico do Cidadão) pelas equipes de saúde, é fundamental para o levantamento do perfil dos idosos cobertos no território nacional, identificando as situações de vulnerabilidade e contribuindo, dessa forma, para a melhor tomada de decisão dos gestores.

 

Fonte: Ministério da Saúde

Imprimir