Cidadeverde.com
Vida Saudável

Teresina segue com redução e atinge 12.286 casos de dengue

Imprimir

Foto: Fiocruz

A cidade de Teresina já registra 12.286 casos de dengue neste ano de 2022, com 9 óbitos, segundo boletim epidemiológico da Fundação Municipal de Saúde (FMS), que foi divulgado no dia 14 de outubro.

Os casos da doença estão reduzindo na capital piauiense. Até o dia 7 de outubro eram 12.255 casos confirmados, mas no novo boletim já são 12.286, ou seja, em sete dias foram registrados apenas 31 casos, o que significa uma grande redução, já que em julho deste ano, a cidade chegou a registrar 708 casos confirmados da doença em apenas uma semana.

A cidade permanece com 9 mortes e 3 ainda estão sendo investigados. Em relação aos casos notificados, já são 13.004 mil.

No caso da Chikungunya, que também é transmitida pelo mosquito da Aedes aegypti, já são cinco mortes, com 2.251 casos confirmados e 2.606 casos notificados.

Em relação ao zika vírus, são 11 casos confirmados com 119 notificações, e não foram registradas mortes pela doença.

Cuidados

Atente-se aos vasos de plantas

  • Coloque areia até a borda dos pratinhos para evitar o acúmulo de água. Alternativamente, lave-os uma vez por semana com sabão e escova.

Livre-se de objetos que acumulam água

  • Dê o destino correto a latas, garrafas, potes, pneus e qualquer outro tipo de objeto que possa servir como criadouro, optando pela reciclagem sempre que possível.

Armazene garrafas da forma correta

  • Se você deseja guardar garrafas e outros objetos que podem acumular água, armazene-os tampados ou com a boca para baixo.

Evite a contaminação de calhas e caixas-d’água

  • As calhas devem ser mantidas desobstruídas e livres de folhas e galhos, enquanto a caixa-d’água deve estar sempre bem tampada.

Higienize recipientes que armazenam água

  • Tanques, barris e tonéis utilizados para guardar água da chuva, por exemplo, devem ficar tampados e ser higienizados semanalmente com escova e sabão. As piscinas devem ser tratadas com cloro.

Tenha cuidado com o lixo

  • Amarre bem as sacolas e deposite-as em lixeiras fora do alcance de animais. Não jogue lixo em terrenos baldios.

Utilize proteção individual

  • As medidas coletivas de proteção podem ser complementadas com cuidados como o uso de repelentes e inseticidas, a instalação de mosquiteiros e telas em portas e janelas e a preferência por roupas de mangas compridas.

A população pode denunciar pontos suspeitos de formação de criadouros ou solicitar uma vistoria dos agentes de endemias para investigar a presença do mosquito ou seus ovos. Basta entrar em contato com a gerência de Zoonoses pelos telefones 3215-9143 e 3215-9144.

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir