Cidadeverde.com
Últimas

Família de adolescente estuprada faz passeata e pede Justiça

Imprimir

Amigos, familiares e moradores do bairro Jardim Europa, na zona Sudeste de Teresina, realizaram uma manifestação na quarta-feira (19) pedindo Justiça em relação ao caso de uma adolescente de 16 anos, que denunciou que foi estuprada por 12 anos pelo marido da avó. A jovem chegou a apresentar áudios do homem comprovando o estupro. Ele chegou a ser detido a terça-feira (19), mas logo foi solto.

A passeata foi realizada no final da tarde de quarta-feira, onde amigos, familiares e moradores do bairro Jardim Europa passaram por várias ruas pedindo por Justiça.

O caso veio à tona na última terça-feira, após a família desconfiar do comportamento da adolescente, e ter acesso ao celular da adolescente, onde descobriram várias mensagens do suspeito que é marido da avó da vítima. Os estupros teriam iniciado quando a menina tinha 4 anos. Agora ela já tem 16 anos.

A estudante Maria Clara, que conhece a vítima, ajudou a organizar a manifestação e afirmou que ficou revoltada ao descobrir que a adolescente ficou por 12 anos sendo estuprada por uma pessoa que deveria proteger ela. “Eu fico muito revoltada, e primeiramente eu sinto muito frágil, pois é uma sensação de que se uma pessoa que cuida de você faz esse tipo de coisa, imagina uma desconhecida. Fico pensando como é que ela conseguiu segurar por todo esse tempo, sem contar para ninguém, sair de casa e sem deixar nada transparecer”, lamentou.

A irmã da vítima, que vai ter sua identidade preservada pela reportagem, afirmou que a adolescente estava tendo crises de ansiedade e apresentando comportamento estranho. “Tive acesso ao celular dela, foi onde vi os áudios e mensagens onde ele mandava para ela coagindo, ameaçando, manipulando ela emocionalmente. Depois que levei ela para minha casa, conversando, foi que ela relatou detalhadamente o que ele fez com ela nesses 12 anos, desde os 4 anos de idade”, disse.

O homem chegou a ser encaminhado para a Central de Flagrantes de Teresina, mas logo foi solto. O caso foi denunciado para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) que investiga as acusações. “Queremos Justiça e que as autoridades olhem para esse caso”, pediu a irmã.

Os áudios

Foram vários os áudios e mensagens encontrados pelos familiares. Em um dos áudios o suspeito afirma: “não fale para ninguém, apague tudo, só você fica sabendo do conteúdo dessa última conversa que nós tivemos”.

Em outro áudio, ele dizia que os dois não poderiam ter contato em público, mas que iria pegar ela para o “caldo”, que seria um código para o estupro.

“Aconteça o que acontecer com você não seu preocupe porque eu não vou pular fora. Eu vou tá sempre com você. Nós não podemos é ficar se esfregando, essas coisas, ao nosso bem. Entendeu minha princesa? Não estou de mal com você não. Me afastei de você não porque eu estou de mal com você, você sabe porque, quanto mais ficar distante é melhor para nós, tá bom? Mas amanhã, 6h30 eu quero você aqui porque o caldo vai ser do mesmo jeitinho. Levo para o trabalho e trago”, dizia.


Bárbara Rodrigues e Christian Sousa
[email protected]

Imprimir