Cidadeverde.com
Vida Saudável

Osteoporose é uma das principais causas de morbidade e mortalidade em idosos

Imprimir

 

Foto: Freepik

 

A osteoporose é uma doença que se caracteriza pela perda progressiva de massa óssea, tornando os ossos enfraquecidos e predispostos a fraturas. Neste Dia Mundial da Osteoporose, o Ministério da Saúde alerta que as complicações da osteoporose incluem dor crônica, depressão, deformidade, perda da independência e aumento da mortalidade. Estima-se que cerca de 50% das mulheres e 20% dos homens com idade igual ou superior a 50 anos sofrerão uma fratura osteoporótica ao longo da vida.

Aproximadamente 5% dos indivíduos que apresentam fratura de quadril morrem durante a internação hospitalar, 12% morrem nos 3 meses subsequentes e 20% morrem no ano seguinte ao da fratura, de acordo com dados norte-americanos. Pesquisa conduzida no Rio de Janeiro, em hospitais públicos, revelou mortalidade de 23,6% nos 3 meses subsequentes à fratura de fêmur.


Outras causas que também podem favorecer o desenvolvimento da osteoporose são:

-Doenças endócrinas, como diabetes ou hiperparatireoidismo;
-Deficiência de cálcio e/ou vitamina D;
-Sedentarismo;
-Menopausa;
-Alimentação inadequada;
-Tabagismo;
-Anorexia nervosa;
-Alcoolismo;
-Uso de alguns tipos de medicamentos;
-Deficiência na produção de hormônios.


Além disso, algumas doenças também podem aumentar o risco do desenvolvimento da osteoporose, como câncer, HIV, artrite reumatoide, hemofilia, insuficiência renal e talassemia.

Para indivíduos com risco de desenvolver osteoporose, medidas de intervenção devem ser adotadas para prevenção. Pessoas que já apresentam baixa densidade mineral óssea ou fraturas, o tratamento deve ser realizado a fim de prevenir uma perda óssea adicional e, assim, reduzir o risco da primeira ou segunda fratura. O tratamento da osteoporose consiste de medidas não medicamentosas e medicamentosas. A atividade física contribui para a redução do risco de fratura, aumentando e preservando a massa óssea.


Os sintomas que podem surgir com o avanço da doença são:

-Dor ou sensibilidade óssea;
-Diminuição de estatura com o passar do tempo;
-Dor na região lombar devido a fraturas dos ossos da coluna vertebral;
-Dor no pescoço devido a fraturas dos ossos da coluna vertebral;
-Postura encurvada ou cifótica.
-Algumas dicas podem ajudar na prevenção ou no controle da osteoporose:
-Ingerir cálcio é fundamental para o fortalecimento dos ossos. Adote uma dieta rica em alimentos com cálcio (leite e derivados, como iogurtes e queijos). Médicos indicam dois copos de leite desnatado e uma fatia de queijo branco por dia;
-Consuma verduras de folhas escuras, como brócolis, espinafre e couve;
-Evite carne vermelha, refrigerante, café e sal;
-Exponha-se ao sol de forma moderada. Os raios ultravioletas sobre a pele estimulam a produção de vitamina D, fundamental para a absorção do cálcio pelo organismo. Basta 20 a 30 minutos de sol por dia, entre 6h e 11h;
-Não fume e evite o consumo excessivo de álcool;
-Independente da idade, inicie um programa de exercícios (pode ser caminhada ou musculação, por exemplo). Entre outras vantagens, ajuda a fortalecer os músculos, melhorar o equilíbrio e os reflexos, evitando as quedas;
-Mulheres que entraram na menopausa devem consultar um médico para começar um tratamento especial. A partir de 45 anos, devem ser submetidas a um teste de densitometria óssea;
-Obstáculos como móveis, tapetes soltos e pouca iluminação, podem facilitar quedas e, consequentemente, provocar fraturas em pessoas com osteoporose.


Saiba como deixar a casa mais segura para evitar quedas:

-Na cama, é importante que a pessoa sentada consiga apoiar os pés no chão, evitando assim, a hipotensão postural (tonturas);
-A mesa de cabeceira deve ser 10 cm mais alta do que a cama e com bordas arredondadas. Se possível, fixe-a no chão ou na parede, evitando que se desloque caso a pessoa precise apoiar-se nela;
-Sempre que possível, instale os interruptores de luz próximos à cama, ou adote um abajur;
-Prefira pisos antiderrapantes para áreas molhadas (como box e corredores);
-Evite tapetes soltos e prefira os de borracha e antiderrapantes;
-O corrimão das escadas deve ter altura média de 80 cm e os degraus das escadas devem ser marcados com fitas antiderrapantes.

 

Fonte: Ministério da Saúde

Imprimir