Cidadeverde.com
Vida Saudável

Pneumonia é a maior causa infecciosa de mortes de adultos e crianças

Imprimir

 

Foto: Freepik

 

A pneumonia é uma doença respiratória provocada pela infiltração de agentes infecciosos (bactérias, vírus, fungos e reações alérgicas), provocando inflamação dos pulmões. Maior causa infecciosa de mortes de adultos e crianças, a doença pode ser adquirida pelo ar, saliva, secreções, transfusão de sangue.

Segundo o Ministério da Saúde, em 2019, 2,5 milhões de pessoas, sendo 672 mil crianças morreram vítimas de pneumonia. Em 2021, mais de 400 mil pacientes foram hospitalizados por causa da infecção, que possui tipos diferentes, sendo os mais comuns:

Pneumonia viral - causadas pelos mesmos vírus de gripes e resfriados comuns, como Influenza A, B ou C, H1N1, H5N1 e o vírus da Covid-19. A transmissão acontece por meio de gotículas de saliva ou secreção respiratória espalhadas no ar, pela pessoa infectada.

Pneumonia bacteriana – é causada por vários tipos de bactérias, mas principalmente pelo Streptococcus pneumoniae, também conhecido como pneumococo. Ser fumante, ingerir bebidas alcoólicas e permanecer em ambientes fechados com ar-condicionado estão entre os principais fatores de risco.


Como evitar a doença?

Entre os principais sintomas da pneumonia estão: febre alta, tosse, dor no tórax, alterações da pressão arterial, confusão mental, mal-estar generalizado, falta de ar, fraqueza, secreção de muco de cor amarelada ou esverdeada.

“É possível prevenir essa doença com atitudes simples, como lavar as mãos, não fumar, não ingerir bebidas alcoólicas, evitar estar em aglomerações de pessoas e se vacinar”, destaca o médico Carlos Alberto.

 
Atenção ao uso de antibióticos

O médico aproveita a data para fazer um alerta sobre o uso de antibióticos por conta própria. “Quando usado sem necessidade ou sem acompanhamento de um profissional, há um risco alto de resistência bacteriana, o que faz com que a medicação deixe de ser eficaz, dificultando tratamento”, alerta o profissional. “Por isso, é essencial identificar qual o tipo de pneumonia para iniciar o tratamento adequado”, complementa.

 


Da Redação
[email protected]

Imprimir