Cidadeverde.com
Entretenimento

Amigos e viúva de Gal Costa brigam nas redes por local de sepultamento

Imprimir

Eduardo Martins / AgNews

Quinze dias depois da morte de Gal Costa, o local escolhido pela viúva da cantora, Wilma Petrillo, para o sepultamento continua sendo contestado por pessoas próximas à artista. Gal foi enterrada em São Paulo e o descontentamento pelo enterro não ter sido no Rio de Janeiro já havia sido levantado pelo amigo e ex-empresário dela, Paulinho Lima.

Na ocasião, ele disse que Gal queria ter sido enterrada ao lado de sua mãe, Mariah Costa Pena, no Cemitério São João Batista, na zona sul do Rio. A informação foi confirmada pelo irmão da cantora, Guto Burgos.

Agora, Lima voltou ao Instagram para aumentar o tom das críticas e das reclamações pelo sepultamento ter acontecido num local diferente daquele escolhido pela artista.

"Gal Costa comprou um jazigo no Rio de Janeiro, quando faleceu sua mãe. Neste cemitério estão sepultados, Carmem Miranda, Ary Barroso, Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes, Cazuza, Glauber e Anecy Rocha, os membros da Academia Brasileira e a maioria dos grandes artistas. Não é justo que seja sepultada num jazigo que não é seu e que seja dificultada a chegada de seus fãs e amigos para homenagens", escreveu.

Incomodada, a viúva de Gal, Wilma Petrillo, rebateu Lima. "Paulo, você não sabe de nada. Esse tal Paulo não convivia com Gal há mais de 40 anos", escreveu ela na publicação. Wilma foi acusada por ele de "esconder" Gal dos amigos e de ter uma postura controladora. Na missa de sétimo dia de Gal, no Rio, a Folha apurou que Wilma era chamada de "Pitbull" entre alguns dos amigos da cantora. Procurada pela Folha de S.Paulo, ela ainda não havia respondido.

Porém, não foi só Paulo quem mostrou sua chateação. Lúcia Veríssimo, que foi namorada de Gal Costa, também opinou no bate-boca. "Estou atenta. Pode deixar. Tudo a seu tempo. Está difícil. Mas vamos seguindo no caminho certo. Confiem", escreveu após ser marcada na postagem.

O ator Ciro Barcelos, integrante do grupo Dzi Croquettes, também contestou a decisão de fazer o enterro em outro estado. "Que o corpo de Gal seja levado para o Rio de Janeiro e repouse ao lado de sua amada mãe, querida de todos nós, que com ela convivemos. Que Gal Costa receba a derradeira e merecida homenagem que não lhe foram prestadas em São Paulo. Que seus fãs e amigos possam, sim, visitar seu túmulo e cobri-lo com flores", disse.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir