Cidadeverde.com
Últimas

Espetáculo ‘Manifesto São Benedito’ terá mais três apresentações em Teresina

Imprimir

Foto: Divulgação

O Manifesto São Benedito é um espetáculo que busca um olhar da sociedade para o respeito ao povo africano e seus costumes religiosos, a luta da mulher por uma carreira política na sociedade e a busca por um lugar longe da opressão e violência de gênero. A estreia aconteceu dia 20 de novembro no adro da igreja São Benedito às 17h, o espetáculo contou com 5 artistas que ao longo da apresentação no palco puderam cantar e interpretar sobre questões raciais, religiosas e as diversas formas de preconceito.

O espetáculo Manifesto São Benedito foi apresentado na frente da Igreja São Benedito, no centro de Teresina – capital do Estado do Piauí. O objetivo é ter um olhar maior do público e a concentração de muitas pessoas, também serão apresentados no bairro Dirceu - Zona Sudeste, Santa Maria da Codipi - Zona Norte e Parque Piauí - Zona Sul. O espetáculo é baseado a pesquisa individuais de cada artes negro, criando em forma colaborativa e atraves de esperimentação, a dramaturgia da peça é inspirada em cenas, danças e músicas e executado ao vivo. A história é mostrada pelos atores através da interpretação, diálogos, gestos, danças e música que conta com momentos de muita emoção e olhares curiosos do público.

Ademir Costa ajudou na construção e direção do projeto ele relata que o espetáculo Manifesto São Benedito foi baseado em jogos teatrais e estudos do livro Jogos Teatrais para atores e não atores de Augusto Boal, tendo como base o Teatro do Oprimido do mesmo autor. A construção do texto foi retirada da vivência de cada participante do espetáculo a partir das falas e jogos foram feitos os textos. “É um trabalho maravilhoso pelo seguinte fato, a gente está se expondo e não só a si mais a sociedade tudo que a gente pensa e que passamos, o processo de vivência já que o trabalho é baseado em nossas vivências pessoais” diz Ademir Costa.

A atriz Babu Viana destaca a importância desse trabalho no sentido religioso e também na percepção do racismo, homofobia, porofobia que são temáticas circunstanciais das realidades de cada ator da cena manifesto são Benedito. Para ela o espetáculo é visceral onde a realidade e a dramaturgia muitas vezes se situam no mesmo lugar, onde é real e onde é fantasia. “Fica a reflexão de quem somos, por onde andamos, o que dizemos, com quem falamos. Tem cor? Tem classe? Para mim ele é um espetáculo crítico, mais na sua simplicidade, nas existências das raças, dos gêneros e da classe. Quem são? Onde estão? diz Babu Viana.

Para Negra Cris a arte da dança já nasceu com ela, mas esse espetáculo é muito especial em relação aos outros trabalhos que ela participou pois traz reflexões atuais sobre o preconceito, racismo, homofobia, status social e as raízes africanas. “Eu interpreto dois personagens o Exu que é a comunicação e trata o elemento fogo e uma estudante negra que passa por uma situação de uma mulher preta que passa por racismo, no espetáculo ela não aceita o racismo que é submetida e luta por um lugar melhor e de respeito” diz Negra Cris.

Alex Gomes iniciou na dança em 2008 e para ele está dançando no Espetáculo Manifesto São Benedito está sendo uma experiência incrível, grandiosa como artista intérprete. “Estar tendo essa troca também com artistas maravilhosos, e ter esse conhecimento agregado a minha experiência está sendo incrível, toda essa troca de conhecimentos de entender mais as histórias das raízes das culturas negras, os manifestos, todo esse entendimento que vai muito além do que fazemos no espetáculo é de tal forma agradável a minha vida como artista como pessoa” diz Alex Gomes. 

Projeto São Benedito foi contemplado no I edital Prêmio Palmares de Arte 2021, é realizado em parceria com a Associação Enlevo - ASE e Associação Cultivando Cresço e Apareço – ACCA, tem o patrocínio da Fundação Cultural Palmares - FCP, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. Com Direção Geral e Concepção: Luís Carlos Vale; Direção Artística: Ademir Oliveira; Direção Administrativa: Laurita Vale; Direção Executiva: Ricardo Ramires; Direção de Fotografia: Ricardo Torres; Coordenação e Assessoria de Comunicação: Dinha Melo; Secretaria Executiva: Emanuelly Nunes; Produção Executiva: Junior Vasconcelos; Figurinos: Aureni Oliveira (Ateliê Figurino e Fantasia); Designer Gráfico: Williton Andrade (Arre Égua Propaganda); Fotografia: Ana Cândido; Elenco: Alex Gomes; Babu, Lens Lewry, Marcos Torres, Nêga Criss e Gustavo Andrade.

Da Redação
[email protected]

Imprimir