Cidadeverde.com
Esporte

Relembre casos de jogadores afastados da Copa por indisciplina

Imprimir

A dispensa de André Onana, de Camarões, horas antes da partida contra a Sérvia nesta segunda-feira (28) foi uma surpresa. Ele está fora da Copa do Mundo após uma discussão com o técnico da equipe, Robert Song, segundo a mídia internacional.

A partida terminou em 3 a 3, mantendo vivas as chances da seleção africana de se classificar.

Além do goleiro, outros jogadores também já foram dispensados de suas seleções por casos de indisciplina, todos eles com história e importância dentro dos times, como Sulley Muntari e Kevin-Prince Boateng, de Gana, na Copa do Mundo de 2014.

Os dois sequer jogaram a terceira partida da fase de grupos naquele ano, contra Portugal.

Muntari teria agredido o integrante do comitê executivo da federação ganesa Moses Armah em uma reunião. Já Boateng foi acusado de ter ofendido o técnico da seleção, Kwesi Appiah, e se recusou a pedir desculpas. O jogador declarou que ele não insultou o treinador, mas sim que foi insultado.

Em 2010, foi a seleção francesa quem viveu uma crise. Após uma derrota por 2 a 0, Anelka, um dos grandes atacantes do time, xingou Raymond Doménech, então treinador da equipe, e a confusão foi noticiada pelo jornal L'Équipe. Anelka foi expulso da concentração.

A França também não teve sucesso, sendo eliminada ainda na fase de grupos, sem vencer nenhum de seus jogos.

Líder da seleção irlandesa em 2002, Roy Keane viveu um atrito com o técnico Mick McCarthy. Ele criticou a preparação do time para a Copa do Mundo, dizendo que a cidade de Saipan, escolhida para os treinamentos, não era a ideal.

Por estar no Manchester United, sob o comando de Alex Ferguson, Keane acreditava que os métodos estavam distantes do futebol de elite. Ele estava decidido a abandonar o time antes mesmo da competição, e McCarthy tomou a decisão final de deixá-lo de fora.

De todos os jogadores, somente Kalinic, da Croácia, deve ter sentido as consequências de sua dispensa, durante a Copa do Mundo de 2018. Ele se recusou a entrar em campo nos minutos finais de uma partida contra a Nigéria, na fase de grupos, alegando um problema nas costas e foi cortado.

A questão é que a Croácia chegou até a final, sendo derrotada pela França. Houve a tentativa de entregar a medalha de prata para o jogador, mas ele recusou, afirmando que "não teria entrado em campo na Rússia".

Fonte: Folhapress

Imprimir