Cidadeverde.com
Entretenimento

Bob Dylan se desculpa após venda de livros com autógrafos falsos

Imprimir

 

 

Em uma rara declaração pública, Bob Dylan pediu desculpas aos fãs após um polêmica envolvendo autógrafos falsificados em uma edição especial da venda de seu livro, o que considerou um "erro de julgamento".

Recentemente, a Simon & Schuster ofereceu aos leitores a opção de comprar uma edição especial de Philosophy Of Modern Song assinada à mão por cerca de US$ 600, acompanhadas por uma carta do CEO da editora, Jonathan Karp, atestando sua autenticidade.

Não demorou para que, nas redes sociais, os fãs que receberam o livro postassem fotos da assinatura e reparassem que elas eram exatamente as mesmas, sem nenhum mínimo detalhe de diferença, e desconfiaram.

A falsidade das assinaturas veio à tona e a editora pediu desculpas e se dispôs a devolver o dinheiro de quem adquiriu a edição especial. "A edição limitada do livro realmente contém uma assinatura original de Bob, mas em forma de réplica", destacou comunicado divulgado durante a semana.

"Tive conhecimento de que há alguma controvérsia sobre as assinaturas em algumas das edições limitadas de Philosophy Of Modern Song. Eu autografei à mão cada uma de todas as impressões ao longo dos anos, e nunca houve um problema. Porém, em 2019, eu tive um caso complicado de vertigem e isso continuou nos anos de pandemia".

Dylan destacou que precisa de uma equipe de ao menos cinco pessoas trabalhando próximo a ele para este tipo de sessão de autógrafos, e não conseguiu encontrar "uma maneira segura e exequível" de conciliar isso no período de isolamento social durante a proliferação do coronavírus.

"Com os prazos contratuais se esgotando, a ideia de usar uma caneta automática foi sugerida a mim, junto à garantia de que esse tipo de coisa é feita ‘o tempo inteiro’ no mundo da arte e da literatura. Usar uma máquina foi um erro de julgamento e gostaria de retificá-lo imediatamente. Estou trabalhando com a Simon & Schuster e meus parceiros de galeria para fazer isso. Com meus profundos arrependimentos, Bob Dylan", concluiu.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir