Cidadeverde.com
Vida Saudável

Mais de 1.500 farão cirurgias oftalmológicas gratuitas em Teresina

Imprimir

Foto: Ascom/Sesapi

Mais de 1.500 pacientes serão submetidos a cirurgias oftalmológicas em Teresina. As consultas do mutirão da catarata terão inicio nesta quinta-feira (01) e os procedimentos cirúrgicos a partir do dia 08, no Hospital da Polícia Militar (HPM). 

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), a saúde do Piauí atingiu na última terça-feira (29), durante a etapa realizada no município de Valença, a marca de 12 mil cirurgias eletivas realizadas através do mutirão de cirurgias de catarata, beneficiando todas as regiões do estado. Com isso, o projeto de mutirões de cirurgias atingiu a meta inicial estabelecida para o ano de 2022. 

O secretário de Saúde Neris Júnior destaca que, ao atingir a meta, o estado mostra o resultado do trabalho de descentralização dos serviços de cirurgias eletivas no estado. 

“Para este ano, traçamos a meta de realizar 12 mil cirurgias através do programa de mutirões  da Sesapi, mas diante da demanda aprovamos em CIB um acréscimo para os projetos de mutirões de 2022, ampliando a meta para 15 mil cirurgias até o final de dezembro”, esclarece o secretário.

Neris Júnior explica que os pacientes que serão atendidos no mutirão de cirurgias do HPM serão todos regulados pelo município de Teresina, como acordado  no dia 17 de novembro durante reunião da Comissão Intergestora Bipartite (CIB). 

“A quantidade de procedimentos realizados mostra que a saúde do estado do Piauí busca sempre levar atendimento de qualidade para todos os piauienses, descentralizando os serviços e permitindo que todos recebam assistência necessária para melhorar a sua qualidade de vida”, pontua o gestor.

Para o projeto, o público prioritário é a população idosa acima de 60 anos. Preferencialmente, pacientes que já estejam inseridos em sistemas de regulação, principalmente aqueles com regulação para cirurgia de catarata. Para ter acesso aos procedimentos cirúrgicos os pacientes precisam procurar a Secretaria Municipal da Saúde de sua cidade, por onde são avaliados e encaminhados, se necessário, para a etapa de triagem onde são examinados para saber a necessidade ou não de cirurgia.

 

Graciane Araújo
[email protected]
Com informações Sesapi

Imprimir