Cidadeverde.com
Vida Saudável

Excesso de sol pode causar câncer no couro cabeludo; saiba como prevenir

Imprimir

 

Foto: Freepik

 


Você já ouviu falar em câncer no couro cabeludo? A doença, chamada melanoma, costuma acometer principalmente as pessoas de pele branca e com ascendência asiática, mas também pode surgir nas de pele preta. “Existem basicamente dois tipos de câncer que acometem a pele da cabeça, o couro cabeludo: Melanona e Carcinoma Baso Celular. Ambos têm causas e diagnósticos idênticos, mas prognósticos diferentes”, diz o Dr. Luciano Barsanti, médico e tricologista.

Conforme ele explica, o Melanona é um câncer de pele muito invasivo. No couro cabeludo, é difícil de ser visualizado, bem como no autoexame, sendo que mesmo os médicos, muitas vezes, não conseguem percebê-lo. “Existe uma predisposição genética para este câncer e ele é desencadeado pelos raios solares”, comenta.

Quando o melanoma ocorre no couro cabeludo, o prognóstico não costuma ser bom, já que este câncer é invasivo e só percebido tardiamente.  “O diagnóstico é realizado por meio de um exame clínico especializado, com o uso de equipamentos de diagnóstico tricológico não invasivos, como o scanner de couro cabeludo que aumenta até 30 mil vezes a imagem de sua superfície. O diagnóstico de certeza do tumor e a classificação de sua invasão é feito pela biópsia”, detalha o presidente da SBTri.

Já o Carcinoma Baso Celular também é um tumor que pode aparecer no couro cabeludo e é mais comum que o melanoma, porém é bem menos invasivo. Conforme explicado anteriormente, tem causas e diagnóstico idênticos aos do Melanoma.
 

Prevenção e tratamento

A melhor prevenção contra os cânceres de couro cabeludo é a utilização de chapéus ou bonés confeccionados com tecido de proteção 100% UV, especialmente para pessoas que perderam seus cabelos, têm histórico de câncer familiar ou pele clara ou, ainda, para aquelas que serão expostas ao sol. “Não é recomendada a utilização de filtro solar no couro cabeludo, mesmo em pessoas carecas”, finaliza o especialista.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir