Cidadeverde.com
Últimas

Campanha arrecadou bolsas de sangue para o Hemopi em Teresina

Imprimir

Foto: Divulgação

No início deste final de semana, vários sambistas ligados ao Grupo Piauí Samba, realizou mais uma edição da Campanha Sou Sambista Sangue Bom, que teve como objetivo reforçar o estoque do Banco de Sangue do Hemopi (Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí), em Teresina. Ao todo, 66 pessoas atenderam ao chamado dos sambistas, e compareceram ao hemocentro para contribuir com a campanha que há oito anos vem ajudando a salvar vidas através da solidariedade dos amantes do samba.

Para Ênio Portela, presidente da Fundação Municipal de Cultura (FMC), esse tipo de iniciativa só mostra o tanto que o teresinense tem um bom coração, e que por isso a pasta da cultura, juntamente com a Prefeitura Municipal de Teresina, continuará apoiando os sambistas. Ele fala ainda que além do grupo, a fundação vem se mostrando solicita ao HEMOPI, sempre tentando unificar a cultura com as campanhas promovidas pelo hemocentro.

“Fazer cultura é muito bom, porém atrelada a solidariedade para ajudar a salvar vidas, é melhor ainda. O que a gente vê nessa campanha, são artistas mostrando que a solidariedade pode partir de qualquer lugar, é algo bom, algo interessante, por isso a gestão municipal sempre estará presente nesse tipo de atividade”, conta Ênio Portela.

Robert Gleydson, do Grupo Piauí Samba, diz que a campanha foi uma alternativa encontrada pelos sambistas para comemorar o Dia Nacional do Samba em Teresina, já que antigamente essa data se resumia em simples apresentações, que de acordo com ele, não agregava com causas solidárias. Ele comenta ainda que a Campanha Sou Sambista Sangue Bom fez escola, e agora sambistas do Estado de São Paulo, procuraram os piauienses e iniciaram o mesmo tipo de campanha lá no Sudeste do país.

“Geralmente algumas ideias nascem no Sudeste e as pessoas copiam aqui no Norte Nordeste, porém desta vez foi diferente, fomos o pioneiro de algo que vem ajudando e que pode ajudar a salvar mais vidas por todo o Brasil. Além do Dia do Samba, também fazemos essa campanha no período carnavalesco, por isso quem não pode doar agora, basta aguardar que nos próximos dias estaremos realizando uma nova edição da campanha”, destaca Robert Gleydson.


Da redação
[email protected]

Tags:
Imprimir