Cidadeverde.com
Política

Comissões aprovam aumento de alíquota do ICMS e Reforma Administrativa

Imprimir

Foto: Paula Sampaio

As Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e Finanças da Assembleia Legislativa aprovaram nesta quarta-feira (07), em reunião conjunta, o projeto de lei do governo que propõe elevação de 18% para 21% da  alíquota do ICMS sobre combustíveis, energia e comunicação. 

A matéria foi aprovada com o voto contrário do deputado Gustavo Neiva (Progressistas). 

O objetivo, segundo o projeto de lei, é o de reduzir perdas provocadas no segundo semestre estimadas em R$ 600 milhões, período no qual vigorou lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) que fixou um teto de 18% para as alíquotas do imposto. 

A medida, se aprovada pelos deputados, pode reduzir pela metade o impacto de perdas na arrecadação de 2023. O governo também propõe redução do imposto sobre circulação de mercadorias e serviços sobre produtos da cesta básica e gás de cozinha.

Para a cesta básica, o ICMS cai de 12% para 7%. Para o gás de cozinha a queda será de 18% para 12%. 

O deputado Fábio Novo (PT), relator da matéria que elevou o ICMS, pontuou que o texto foi aprovado uma emenda.  “Apresentei uma emenda que foi acatada que 500 mil piauienses serão beneficiados com a isenção do IPVA para motos de até 160 cilindradas. É uma medida muito importante”, disse. 

Ele também garantiu que a elevação do ICMS é constitucional. “Estamos tratando de alíquota modal. Podemos fazer a modificação, pois é pacificado no STF”, acrescentou.

Reforma Administrativa 

Também passou pelas Comissões de Constituição e de Finanças a reforma administrativa proposta pelo governo eleito Rafael Fonteles (PT) e enviada à Assembleia Legislativa pela governadora Regina Sousa (PT). 

Entre as propostas principais o texto muda quatro órgãos para o status de secretaria e três secretarias modificam a sua denominação.

A Coordenadoria de Políticas para as Mulheres se transforma em Secretaria das Mulheres. Já a Coordenadoria de Fomento à Irrigação será a nova Secretaria de Irrigação e Infraestrutura Hídrica.

A Fundação dos Esportes do Piauí (Fundespi) deixará de existir e as funções serão executadas pela Secretaria dos Esportes. 

A última dessas quatro mudanças é a criação da Secretaria da Assistência Técnica e Defesa Agropecuária que assumirá, entre outras competências, algumas do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Piauí (Emater), que deverá ser extinto.

As mudanças de nomenclatura atingem três órgãos:

  • a Secretaria de Administração e Previdência passa a ser somente Secretaria de Administração. 
  • a Secretaria do Agronegócio e Empreendedorismo Rural será denominada apenas Secretaria do Agronegócio. 
  • a terceira alteração é na Secretaria de Desenvolvimento da Mineração, Petróleo e Energias Renováveis que passa a se chamar Secretaria de Desenvolvimento da Mineração, Energias Renováveis e Abastecimento.

Além das extinções de Emater e Fundespi, para que suas funções sejam executadas em novas secretarias, outros dois órgãos são extintos na proposta do Executivo. 

A Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH) terá suas atividades executadas na Secretaria de Saúde. 

A segunda entidade que deixa de existir é a Coordenadoria do Programa Mais Vida com Cidadania para o Idoso.

O projeto também abrange as empresas estatais. A proposta autoriza, com a manutenção da mesma natureza jurídica, a transformação da Companhia Metropolitana de Transportes Públicos em Companhia Ferroviária do Piauí. 

Outro artigo da proposta é a autorização para a alienação das ações, a fusão ou a incorporação da Companhia de Gás do Piauí – GASPISA e da Companhia de Terminais Alfandegados do Piauí – PORTO-PI.

Há a criação de um órgão de assessoramento que é o Conselho Consultivo do Estado. 

Ele será presidido pelo governador e terá 21 membros com a seguinte composição: 

Secretários de Administração, Planejamento, Fazenda, Governo, Segurança Pública, Educação, Saúde, Assistência Social, o Procurador Geral do Estado, o Presidente da Investe Piauí e até dez cidadãos escolhidos pelo Governador do Estado, com comprovada experiência em áreas relacionadas à gestão pública ou privada, designados por decreto.

As prioridades do Executivo piauiense também são alteradas no PLOG 55/2022. Ele acrescenta o desenvolvimento científico e tecnológico entre as ações a serem priorizadas pelo Governo Estadual.

Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir