Cidadeverde.com
Geral

Vídeo flagra atuação de lanceira no Centro de Teresina; delegado faz alerta

Imprimir

 

 

Circula através das redes sociais um vídeo que mostra a atuação de uma lanceira no Centro de Teresina. A mulher fica parada próximo a uma banca de frutas enquanto alguns pedestres passam, nas proximidades da  Praça da Bandeira. 

Atenta, a suspeita analisa os pedestres a fim de localizar uma potencial vítima. Ao encontrar, ela segue atrás da vítima e faz a abordagem sem que a pessoa perceba que ela está furtando algum pertence da bolsa. 

No vídeo que o Cidadeverde.com teve acesso alguém percebe o intensão da mulher e começa a gravar através de um vidro fumê. Quando ela percebe alguma vítima distraída, segue atrás e ela aproveita a movimentação para agir. 

Em determinado momento, ela mete a mão dentro da bolsa de uma das vítimas, retira algum pertence e coloca em segundos dentro da própria bolsa e volta para a frente da barraca de frutas, até que outra vítima apareça. 

Delegado pede registro de BO

O delegado Sérgio Alencar, titular do 1º DP em Teresina, conversou com o Cidadeverde.com e afirmou que a atuação de lanceiros na cidade é uma realidade que a Polícia já tem conhecido. Tendo, inclusive, um catálogo deles. 

Apesar disso, a Polícia fica de mãos atadas porque não pode agir sem provocação. O delegado alerta para a necessidade de as vítimas procurarem uma delegacia mais próxima para registrar um boletim de ocorrências sobre o caso.

“A mulher que aparece no vídeo já é conhecida da Polícia por essa prática. Nós identificamos mais os lanceiros do que as vítimas. É preciso que as vítimas procurem a Polícia para podermos agir e não somente gravar e publicar nas redes. É preciso que haja uma denúncia”, enfatizou o delegado. 

Orientações 

  • O zíper da bolsa deve estar para frente do corpo para evitar que alguém abra por trás;
  • Em esbarrões, a primeira medida deve ser agarrar a bolsa e virar de frente para a pessoa; 
  • Homens devem colocar carteira ou cédula no bolso da frente;
  • Evitar mexer no celular em paradas de ônibus.

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir