Cidadeverde.com
Últimas

Paixão pelo ciclismo e solidariedade arrecadam toneladas de alimentos em campanha de Natal

Imprimir
  • pedal_1_okok.jpg Arquivo Pessoal
  • pedal_2_okok.jpg Arquivo Pessoal
  • pedal_3_okok.jpg Arquivo Pessoal
  • pedal_4_okok.jpg Arquivo Pessoal
  • pedal_5_okok.jpg Arquivo Pessoal
  • pedal_6_okok.jpg Arquivo Pessoal
  • pedal_7_okok.jpg Arquivo Pessoal

Há oito anos transformando vidas, a campanha Pedal Solidário de Natal já arrecadou mais de 21 mil toneladas de alimentos. O projeto surgiu em 2014 durante as trilhas de um pequeno grupo de ciclistas por localidades na zona rural de Timon, no Maranhão. 

Em entrevista ao Cidadeverde.com, um dos organizadores da campanha, Christiam Dourado, contou que após conhecer essas comunidades carentes nessas trilhas, surgiu o desejo de ajudar.  

“Em 2014, surgiu a ideia da gente mobilizar a arrecadação de alimentos porque a gente faz muito trilhas em algumas localidades, principalmente na região de Timon, no Maranhão, onde a gente passa por algumas comunidades bem carentes e mediante essas passagens, a gente acaba engajando campanhas de arrecadação”, conta Christiam Dourado.

Além dos alimentos, a ação também arrecada roupas, calçados, materiais de higiene, limpeza e brinquedos. Hoje, a campanha já está bem maior e é realizada pela Associação Esportiva Filhos do Sol Bikers e Liga do Pedal de Teresina. 

Em cada edição do Pedal Solidário de Natal, o grupo seleciona uma localidade carente. Neste ano, a comunidade beneficiada foi a Açudes, na zona rural de Timon. 

A entrega dos alimentos foi realizada no dia 17 de dezembro com um pedal saindo de Teresina até o local e com veículos de apoio.

Segundo Christiam, além dessa localidade, outras instituições na capital piauiense também recebem parte do material arrecadado. 

“A gente tem uma missão de construir 100 cestas básicas e quando ultrapassa essa quantidade a gente acaba compartilhando com outras regiões. Nesse ano, conseguimos arrecadar em torno de 160 cestas básicas, então o balanço foi muito positivo. A gente conseguiu atender essa comunidade levando lá 110 cestas básicas, com esse excedente a gente vai também doar materiais de higiene pessoal para a AMAC (Associação de Amparo às Mulheres com Câncer), vamos doar roupas para a Casa de Deus e também uma parte de alimentos para eles produzirem sopa e pretendemos doar para a Frederico Ozanan”, diz. 

Fotos: Arquivo Pessoal 

Unidos pelo amor ao ciclismo, Christiam Dourado fala ainda sobre outro projeto que também é realizado durante as ações sociais, o Pedala ou Repassa, com a entrega de bicicletas para alunos que se destacam nas escolas. Ele reforça que a ideia não é só levar alimentos, mas esperança. Para a comunidade Açudes, houve a doação de quatro bicicletas. 

"Nós temos um projeto chamado Pedala ou Repassa, onde as pessoas que não pedalam mais, elas doam as bicicletas e a gente reforma e doamos para uma comunidade carente. Doamos quatro bicicletas para crianças carentes que se destacaram na escola, uma assistente social da comunidade nos ajudou a fazer esse levantamento. O objetivo é sempre esse, não é só levar alimentos, a gente leva amor, leva esperança para aquela comunidade, para que eles acreditem nisso", ressalta o organizador. 

Sobre o motivo que move o desejo de doar, Christiam ressalta que a principal missão é fazer com que as pessoas não desistam e tenham força para superar as dificuldades do cotidiano.  

"A principal missão da campanha não é apenas distribuir alimentos, é ir de encontro a essas pessoas para que elas acreditem nelas, tenham esperança, se esforcem, não desistam, porque não é só distribuir alimento, a gente vai lá para dar força, dar esperança e as pessoas que vão dar o apoio também acreditar que é possível ter mais empatia, então o principal propósito é levar esperanças às pessoas de que elas são capazes de superar os limites que a vida proporciona no dia a dia”, acrescenta. 

Completando oito anos em 2022 e gerando resultados bastante positivos, o ciclista complementa que a ideia é realizar a campanha Pedal Solidário em outras épocas do ano, além do Natal. 

"A gente tem isso como um propósito mesmo, somos todos voluntários, somos ciclistas por armar o esporte e acreditamos que a bicicleta tem um poder de transformar a sociedade, então nada com a gente poder contribuir e a ideia nossa não é somente ficar nessa época de natal, final de ano, a gente quer com a Associação Filhos do Sol fazer com que isso seja mais periódico", finaliza. 

 

Rebeca Lima
[email protected]

Imprimir