Cidadeverde.com
Economia

Perspectivas positivas com novo governo estimulam alta no Ibovespa

Imprimir

Foto: Freepik



O discurso ajustado na quarta-feira, 4, do governo ainda ecoa positivamente no Ibovespa nesta quinta-feira, 5, mas a queda dos ativos de ações do ocidente limita a alta. O ajuste nas falas de membros da nova gestão levou o índice Bovespa a interromper dois dias seguidos de baixa, fechando com valorização de 1,12% (105.334,46 pontos), mas ainda amargando perdas de 4% na semana.

Apesar da valorização, na avaliação de Francisco Levy, estrategista-chefe da Empiricus Investimentos, está complicado fazer uma leitura única neste momento de incertezas em relação à postura que o novo governo tomará. Segundo ele, os primeiros sinais da nova gestão foram ruins. "Não tem uma linha. Vemos indícios de algumas pessoas do novo governo com visões ideológicas e não pragmáticas. Claro que é importante investir no social, mas de onde virão os recursos? Isso precisa ser esclarecido", diz.

Os investidores acompanharam a cerimônia de transmissão de cargo de Simone Tebet (MDB) como ministra do Planejamento e Orçamento, no Palácio do Planalto. Como combinado dentro do governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não participou do evento. Dentre as palavras ditas por Tebet, ela destacou que "não vai descuidar da qualidade dos gastos."

Destaque para as ações da Petrobras, que sobem entre 1,5% (PN) e 1,9% (ON), em meio ainda às afirmações ontem do futuro presidente da petroleira, Jean Paul Prates (PT-RN), de que não haverá intervenção na companhia, de que não promoverá mudança na política de preços da empresa.

Ainda que as ações da Petrobras estejam subindo, o futuro da empresa segue duvidoso, na avaliação do mercado financeiro, o que faz com que a alta hoje venha perdendo força ante mais cedo. Apesar da "boa recepção", a LCA Consultores afirma em nota que "é certo que o governo definirá uma nova política de preços para os combustíveis. Ainda não está claro como será esse novo modelo "

Outro ponto a ser monitorado é a alteração na lei das estatais, ressalta Bruno Takeo, analista da Ouro Preto Investimentos. "O mercado reagiu bem falas de Prates, mas temos de continuar monitorando, ver se haverá mudança", diz. Em dezembro, a Câmara aprovou modificações nesta lei. O texto, porém, travou no Senado

Ontem, o Ibovespa também reagiu positivamente ao desmentido do ministro da Casa Civil, Rui Costa, de que o novo governo vai rever a reforma da Previdência de 2019.

Para tentar evitar novas falas destoantes, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará a primeira reunião ministerial amanhã

Já em Nova York e na Europa, a maioria dos sinais é de baixa. Os investidores reavaliam a ata do Fed indicando que não haverá corte dos juros nos EUA em 2023. Hoje, saiu o dado de emprego do setor privado da ADP dos EUA, que mostrou criação de 235 mil vagas em dezembro, contrariando a projeção de analistas de geração de 153 mil postos. Em tese, o resultado pode reforçar a ideia de novas altas dos juros nos EUA.

Às 11h25, o Ibovespa subia 0,65%, aos 106.020,03 pontos, após avançar aos 106.374,62 pontos (máxima intradia), com valorização de 0,99%.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir