Cidadeverde.com
Últimas

Bolsonaro é internado em hospital nos EUA após sentir dores

Imprimir

Foto reprodução vídeo 


O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) foi internado nesta segunda-feira (9) em Orlando, nos Estados Unidos, onde está desde o final de dezembro.

O ex-mandatário sentiu fortes dores abdominais e, por isso, decidiu ir a um hospital na Flórida.

A informação foi revelada pelo O Globo e confirmada à Folha de S.Paulo por aliados de Bolsonaro. Segundo eles, Bolsonaro foi ao hospital para investigar se está novamente com uma obstrução intestinal.

Em junho de 2021 e em janeiro de 2022 Bolsonaro também foi internado devido a problemas no intestino. Geralmente, o ex-presidente afirma que as dores são consequências da facada que levou em 2018 em Juiz de Fora (MG).

No início do ano passado, ele interrompeu seus dias de férias no litoral de Santa Catarina e viajou para São Paulo para ser internado e fazer exames.

À época, o hospital Vila Nova Star disse que Bolsonaro tinha uma "suboclusão intestinal", uma obstrução no intestino. À época, ele apresentou melhora clínica após passagem da sonda nasogástrica.

Bolsonaro saiu do Brasil no último dia 30 de dezembro, antes do fim de seu mandato. Rompendo uma tradição democrática, decidiu não passar a faixa para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e se instalou na região de Orlando, próximo aos parques da Disney.

Após o vandalismo registrado neste domingo (8) em Brasília, os deputados americanos Alexandria Ocasio-Cortez e Joaquin Castro, filiados ao Partido Democrata de Joe Biden, pediram em publicações no Twitter que Bolsonaro deixe os Estados Unidos, citando os ataques à democracia empreendidos por apoiadores do ex-mandatário em Brasília.

Nesta segunda, o assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, afirmou que a Casa Branca não recebeu nenhuma solicitação formal do governo Lula acerca do status do ex-presidente.

Em uma entrevista coletiva na Cidade do México, Sullivan reiterou a confiança nas instituições democráticas do Brasil e disse que, aparentemente, elas estão mantendo o cenário sob controle após o ataque de extremistas às sedes dos Três Poderes neste domingo (8).

O assessor também negou qualquer contato entre a Casa Branca e Bolsonaro.

No domingo, após manifestantes bolsonaristas invadirem a praça dos Três Poderes e depredarem prédios do Congresso, do Planalto e do STF (Supremo Tribunal Federal), o ex-presidente se manifestou nas redes sociais e, isentando-se de responsabilidade, criticou as depredações associando-as à esquerda.

"Manifestações pacíficas, na forma da lei, fazem parte da democracia. Contudo, depredações e invasões de prédios públicos como ocorridos no dia de hoje, assim como os praticados pela esquerda em 2013 e 2017, fogem à regra", disse.

Fonte: Folhapress (MATHEUS TEIXEIRA)

Imprimir