Cidadeverde.com
Esporte

Copinha tem pane em elevador e jantar às escuras após surto de diarreia

Imprimir

Após problemas na comida e na água, o hotel Alpino, em São Roque, também ficou sem luz na noite de desta terça-feira (10). A pane que ocorreu por cerca de 20 minutos, às 20h, deixou jogadores presos no elevador e obrigou um jantar às escuras.)

Os problemas no hotel responsável por hospedar Ceará, Madureira e Rio Claro no grupo 22 da Copinha geraram mais de 50 casos de diarreia. O UOL apurou que a água é de poço.

Vigilantes sanitários foram ao estabelecimento e ainda não deram um parecer oficialmente, mas pediram que as delegações não usem a água nem sequer para escovar os dentes. Os banhos precisam ser rápidos e com a boca fechada. Há a expectativa pela interdição nos próximos dias.

O QUE ACONTECEU?

A sede do Grupo 22 está em Alumínio, cidade com pouco mais de 18 mil habitantes e que não possui um hotel. 

O Sharjah Brasil está hospedado na sua sede em Alumínio, enquanto os demais clubes precisaram recorrer ao estabelecimento de São Roque, que vem sendo chamado pelos times de "hotel da Família Addams" por ser antigo e precário.

No dia 3, as delegações de Ceará, Madureira e Rio Claro jantaram no Hotel Alpino. Na mesma noite e no dia seguinte, os atletas e membros das comissões técnicas já apresentaram diarreia e vômito.

Quase todos estão melhores agora após a medicação e nova alimentação, mas ainda sentem dores estomacais.

Os clubes entendiam que a causa era a carne de porco servida pelo hotel no dia 3, mas a vigilância sanitária apontou para a água possivelmente contaminada.

Às equipes, o Hotel Alpino afirmou que o problema era uma "virose da cidade". O estabelecimento não respondeu aos vários contatos do UOL.

Um dos jogadores do Rio Claro foi levado ao Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e o diagnóstico foi de intoxicação alimentar, o que difere da versão do hotel.

Os clubes cogitaram pedir adiamento dos jogos, mas ouviram da FPF que não seria possível.

Classificado em primeiro lugar, o Rio Claro continua na região e pede outro hotel. O Sharjah avançou em segundo e seguirá na sua sede em Alumínio.

AMPLIANDO A NOTÍCIA

A responsabilidade da sede em Alumínio não é da prefeitura da cidade, mas sim do Sharjah Brasil, clube que leva o nome do tradicional time dos Emirados Árabes Unidos. 

O Sharjah é o antigo Itapevi Futebol Clube e foi, inclusive, quem bancou a nova alimentação para Ceará, Madureira e Rio Claro.

Para divulgar o clube-empresa, o Sharjah negociou com a Federação Paulista de Futebol (FPF) para a sede ser em Alumínio e não em São Roque. O Hotel Alpino, porém, gerou revolta de Ceará, Madureira e Rio Claro.

Além do problema com a alimentação, o hotel é considerado antigo, por isso o apelido de "Família Addams".

As refeições eram aquém do esperado para atletas. Os cafés da manhã e da tarde, por exemplo, tinha apenas pão com manteiga e suco.

Em reunião com Ceará, Madureira e Rio Claro, o Sharjah prometeu cobrar o Hotel Alpino, o que não adiantou. A alternativa foi buscar um restaurante próximo para substituir a comida do hotel.

Ceará, Madureira e Rio Claro notificaram suas respectivas federações para pedir ajuda.

O que diz a Federação Paulista de Futebol?

"A Federação Paulista de Futebol informa que iniciou investigação a respeito das causas da indisposição que acometeu atletas de Ceará (CE), Madureira (RJ) e Rio Claro (SP), hospedados na cidade de São Roque, e que disputam a Copa São Paulo de Futebol Jr. 

pelo Grupo 22, sediado em Alumínio. As delegações das equipes estão hospedadas em hotel que possui mais de 30 anos de operação e boas avaliações em sites especializados.

A FPF reforça que, com o apoio das Prefeituras, busca atender as delegações com as melhores estruturas e condições possíveis em relação à alimentação e hospedagem".

LUCAS MUSETTI PERAZOLLI E LEO BURLÁ
SANTOS, SP, E SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS)

Imprimir