Cidadeverde.com
Vida Saudável

Check-up oftalmológico vai além da troca dos óculos

Imprimir

 

Foto: Divulgação

 

Se entre as metas de ano novo consta cuidar mais da saúde, a visão deve ser incluída nesse plano. Cuidar da saúde dos olhos é fundamental, assim como de todo o corpo, por isso, é tão importante realizar o check-up oftalmológico regularmente.

“O Conselho Brasileiro de Oftalmologia recomenda, no mínimo, um exame oftalmológico ao ano. Fazendo os exames periódicos, é possível detectar doenças na visão antes mesmo de elas causarem algum sintoma no paciente. O glaucoma e a catarata, por exemplo, no início, não apresentam sintomas e se não tratados podem levar à cegueira. Além disso, para os usuários de óculos, é uma excelente oportunidade de verificar o estado de conservação das lentes e se será necessário a substituição”, destaca o oftalmologista, César Vilar.

A diabetes e a hipertensão arterial podem causar alterações na visão. Por isso, pessoas com essas doenças precisam ter atenção especial e reforçar os cuidados com a saúde ocular.

“Para os pacientes com diabetes e hipertensão, visitas anuais ao oftalmologista são importantes, pois existem tanto a retinopatia diabética como a retinopatia hipertensiva que podem ser geradas devido a esses quadros sistêmicos. Inicialmente, também não apresentam sintomas e sem tratamento adequado podem causar perda de visão”, esclarece o médico.


Crianças também precisam ter rotina de exames oftalmológicos

Assim como os adultos, as crianças precisam ter uma rotina anual de consultas ao oftalmologista. De acordo com o especialista, os cuidados devem começar no início da vida.

“Tudo começa com o teste do olhinho, que deve ser feito assim que a criança nasce para já descartar problemas oculares graves que podem acometer os bebês. Descartadas essas doenças, os primeiros exames devem ser realizados próximo aos seis meses de vida e, a partir de então, anualmente”, explica Vilar.

O médico pontua ainda que alguns sinais podem ser observados pelos pais. “A verdade é que não se deve esperar sintomas para levar as crianças ao oftalmologista. Entretanto, na presença de sinais de visão ruim, como: chegar muito perto das coisas para enxergar; desinteresse por algumas atividades que envolvem a visão e em casos mais graves, quando a criança anda se batendo ou tropeçando nas coisas, o exame deve ser feito o quanto antes, afinal as crianças não sabem explicar o que sentem e não costumam se queixar”, frisa o especialista.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir