Cidadeverde.com
Geral

Polícia identifica suspeitos pelo roubo de avião e aciona Comando Aéreo do Nordeste

Imprimir

Foto: Arquivo pessoal 

O secretário de Segurança Pública, Chico Lucas, afirmou nesta quarta-feira (18) que já foram identificados os suspeitos de participação no roubo do avião em um aeroclube de Teresina, no último sábado (14). Ele disse que as polícias do Nordeste já foram mobilizadas.

O crime aconteceu na madrugada do último sábado, quando homens armados invadiram o local, renderam o caseiro e levaram o monomotor. O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) está responsável pela investigação do caso.

Chico Lucas afirmou que a polícia já conseguiu identificar os suspeitos de participação, mas que não iria divulgar para não prejudicar a investigação.

“Sabemos de pessoas envolvidas, e temos quebra de sigilo que já foram pedidas e temos o caminho que levou o financiamento desse roubo”, explicou.

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

O secretário disse que a Aeronáutica, o Comando Aéreo Nordeste (Comar) e as forças de inteligência do Nordeste já sabem do roubo e estão mobilizadas. “Todas as inteligências do Nordeste foram mobilizadas, estamos em contato com os nossos vizinhos Ceará, Pernambuco, Bahia e Maranhão”, destacou Chico Lucas.

Ele explicou que até o momento não existe informação sobre a aeronave, e acredita que ela deve estar escondida em um local de difícil acesso. O secretário ainda destacou que existe uma dificuldade para localizar o avião, pois ele consegue voar baixo, não sendo possível ser identificado pelos radares.

Chico Lucas ainda pontuou que o modelo roubado é desejado por facções criminosas, principalmente para o tráfico de drogas. “É muito desejado pelas facções e traficantes de drogas, pois é de pequeno porte, consegue pousar e decolar em pistas pequenas e consegue levar peso muito grande, além de voar abaixo do radar”, destacou.

Aeronave não tinha seguro

 

Foto: Arquivo Pessoal

O proprietário do avião, o médico Jacinto Lay, disse que o sentimento é de surpresa e frustração após o roubo. Ele conta que o monomotor passou por revisão em dezembro de 2022. O monomotor não tinha seguro.

"Recentemente foi feita uma revisão geral, pois havia chegado no tempo de renovação do certificado de aeronavegabilidade. No começo de dezembro fez teste de voo e no final de dezembro já havia concluído toda a revisão. Estava pronto pra voo. Não estava voando, pois estava aguardando somente a liberação burocrática, a assinatura do papel da Anac", conta Lay. 

Piloto diz que roubo foi planejado e de alto risco

O piloto de avião Gregório Mendes fez uma análise do roubo do monomotor, modelo Cessna 206, e caracterizou a ação criminosa como uma operação de alto risco, uma vez que a decolagem foi realizada durante a madrugada com iluminação apenas do farol da aeronave. 

Ele cogita, como uma possível rota de fuga, o estado do Maranhão, Pará e Amazônia Legal que engloba os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

"Foi muita ousadia, inclusive nesse aspecto da fuga. Além disso, ninguém é pra voar sem um plano de voo. Eles decolaram à revelia de todos os controles aéreos. O controle daqui deve ter visto o alvo dele no radar, efetuado diversas chamadas e ninguém respondeu. Temos a transmissora do Centro-Recife que qualquer aeronave voando dentro desse raio de 200 milhas, com certeza é alcançada pelo radar. O controle deve ter feito chamadas, apesar dele ter desligado o transponder, mas aparece o alvo primário e o controlador com certeza viu", diz Mendes. 

 

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir