Cidadeverde.com
Esporte

Palmeiras estuda o mercado, mas trio de opções não joga como Danilo

Imprimir

Dias depois de vender Danilo para o Nottingham Forest (Inglaterra) por 20 milhões de euros (cerca de R$ 113 milhões), o Palmeiras estuda o mercado da bola em busca de um substituto. 

Até o momento, três volantes que atuam fora do país estão entre os nomes sondados.

Matheus Henrique, 25,  ex-Grêmio, pertence ao Sassuolo (Itália), e tem valor de compra estipulado entre 4,5 milhões de euros (R$ 25 milhões) e 6 milhões de euros (R$ 33 milhões) por 50% dos direitos econômicos.

Jean Lucas, 24, ex-Flamengo, Santos, Lyon (França) e Brest (França), atualmente no Monaco (França). O clube europeu queria envolver o volante em negociação por Danilo. 

Agora, cobra 6 milhões de euros (R$ 33 milhões) por 70% dos direitos.

Gregore, 28, ex-Santos e Bahia, hoje no Inter Miami (Estados Unidos). Com contrato só até 2024, é tratado como alternativa mais viável economicamente.

Apesar do alto nível das alternativas de mercado, o Palmeiras vai ter dificuldade para repor a saída de Danilo. Isso acontece porque Matheus Henrique, Jean Lucas e Gregore não têm as mesmas características de jogo do ex-volante, que equilibra funções de primeiro e segundo volante.

COMO JOGA DANILO

Danilo atuava como primeiro jogador à frente da zaga no Palmeiras. Além da marcação pelo meio, tinha a responsabilidade de fazer a cobertura dos laterais ao mesmo tempo em que não podia deixar espaços para o adversário explorar. Ele e Zé Rafael se compensavam em vários momentos como dupla.

Ofensivamente, Danilo era importante com passes longos, lançamentos e inversões, ditando o ritmo de jogo da equipe e inclusive tomando a decisão do setor por onde atacar com saída de bola limpa e rápida.

Danilo também era peça-chave num conceito tático chamado "perde e pressiona": quando o Palmeiras era desarmado, era ele quem se antecipava para dar o bote e roubar a bola o mais rápido possível. O volante também mostrava muita velocidade para correr para trás e recompor a marcação se a pressão não desse certo.

Essa mistura de características defensivas e ofensivas executadas em alto nível fazia com que Danilo tivesse um papel fundamental no time de Abel Ferreira, influenciando o comportamento coletivo. Por isso é tão desafiador substituí-lo.

Jailson foi o titular na estreia do Campeonato Paulista, o primeiro jogo sem Danilo. Apesar de dar ao time força física, estatura e bom poder de marcação, o volante não tem as mesmas características ofensivas do antigo titular. Gabriel Menino e Fabinho também são opções de Abel Ferreira.

Entre os pretendidos, Matheus Henrique tem jogado no futebol italiano mais avançado do que Danilo. Ele não é titular, atuou em 11 de 19 partidas do Sassuolo na temporada.

A maioria como segundo volante, com menos responsabilidade defensiva e mais jogo cadenciado. Mesmo no Grêmio, era mais articulador do que protetor, melhor com bola do que sem bola.

Jean Lucas também não tem sido titular no Monaco e também joga numa faixa de gramado mais adiantada do que Danilo, assim como Matheus Henrique. Ele não é um camisa 5. 

Na temporada passada, chegou a jogar à frente de Tchouaméni, vice-campeão mundial pela França, hoje no Real Madrid e — este sim — com características de jogo mais próximas das do ex-palmeirense.

Por fim, Gregore é primeiro volante no Inter Miami. Especialista em perseguições individuais longas, marcação e cobertura defensiva, peca ao não entregar tanto dinamismo com bola.

É mais parecido com Jailson do que com Danilo, e também não supre 100% das características do volante negociado com a Europa.

A presidente do Palmeiras Leila Pereira prometeu reforços para o primeiro semestre. Um volante está entre as prioridades por causa da saída de Danilo. Segundo apurou o UOL, a ideia é não contratar estrelas pela preocupação em manter um bom ambiente nos bastidores.

GABRIEL CARNEIRO
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS)

Imprimir