Cidadeverde.com
Geral

Briga por imóvel de R$ 47 mi pode ter motivado morte de modelo em Hong Kong

Imprimir

 

 

Uma disputa de família envolvendo um apartamento no valor aproximado de R$ 47 milhões pode ter motivado a morte da modelo Aby Choi, que foi esquartejada em Hong Kong na semana passada. As informações são do site de notícias locais The Standard.

Presos, o ex-marido e ex-sogros da modelo compareceram ao tribunal na segunda-feira. Eles são acusados de assassinato depois que a polícia encontrou partes do corpo em uma geladeira.

O apartamento fica numa área nobre, chamada Kadoorie Hill, em Ho Man Tin e estava em nome do ex-sogro. A polícia apurou que a modelo sustentava há anos a família de Alex Kwong, seu ex-marido, mas havia demonstrado sinais de que queria vender a propriedade. Kwong foi preso no sábado (25), no píer de Tung Chung, enquanto tentava fugir com uma quantia equivalente a R$ 330 mil e relógios avaliados em R$ 2,6 milhões.

Na sexta-feira (24), a polícia havia encontrado as pernas de Choi na geladeira de uma residência em Tai Po. Ontem (27), autoridades encontraram a cabeça e algumas costelas da modelo, dois dias depois que sua morte foi descoberta em uma casa da vila de Tai Po. Os restos mortais haviam sido cozidos em panelas, com vegetais.

O ex-cunhado de Choi, Anthony Kwong Kong-kit, 31, e o ex-sogro Kwong Kau, 65, foram acusados conjuntamente de assassinato. A ex-sogra de Choi, Li Sui-heung, 63, foi acusada de obstrução da justiça, por esconder provas. Eles foram presos sem direito à fiança. Um quinto suspeito relacionado ao ex-sogro da vítima também foi preso no domingo por colaboração com o crime.

Segundo a polícia, após se separar de Alex Kwong, Choi havia começado outro relacionamento e morava com o novo marido, mas não havia registrado oficialmente a união. Por isso, a família do ex-marido passou a acreditar que os dois filhos dela, frutos do primeiro casamento, seriam os herdeiros diretos de sua fortuna.

O caso veio à tona na sexta-feira, quando partes do corpo de Choi foram encontrados em uma casa, na vila de Tai Po Lung Mei. Ela havia sido dada como desaparecida na terça-feira (21). Choi era nora do fundador da rede de restaurantes TamJai Yunnan Mixian, pai de seu segundo marido.

O superintendente Alan Chung Nga-lun, da unidade criminal regional de Kowloon West, declarou que a modelo sofreu um ferimento fatal no lado direito do crânio provavelmente causado por um objeto duro. A polícia encontrou na casa onde estavam partes do corpo um moedor de carne, uma serra elétrica, capas de chuva e luvas.

Segundo a investigação, o ex-cunhado, Anthony, que era motorista de Abby, deveria levá-la para a escola de sua filha, mas o ex-marido entrou no carro e a estrangulou, deixando-a inconsciente enquanto era conduzida para a casa onde ela foi esquartejada.

PASSADO DUVIDOSO

O ex-sogro de Choi era um sargento reformado da polícia, condecorado em 2001 pelos serviços prestados, mas renunciou em 2005 após estar supostamente envolvido em um caso de estupro.

Alex Kwong foi procurado pela justiça por anos após pagar fiança em um caso de fraude. Ele afirmou à polícia trabalhar em um negócio de investimento em ouro e supostamente fraudou algumas vítimas em cerca de R$ 3,31 milhões de 2014 a 2015.

Ele chegou a ser preso, compareceu ao tribunal antes de pagar a fiança e acabou processado por mais de R$ 1 milhão em dívidas.

Seu irmão, Anthony, não esteve envolvido em processos criminais antes, mas enfrentou processos por dívidas. A ex-sogra de Choi, Lee, foi declarada falida em 2017.

 

Fonte: Folhapress 

Imprimir